Edifícios licenciados aumentaram 10,7% e edifícios concluídos cresceram 7,2%

Os municípios que mais contribuíram para a variação absoluta do número de fogos licenciados foram Braga,Lisboa, Vila Nova de Famalicão, Albufeira, Guimarães, revela o INE.

O primeiro trimestre de 2019 voltou a registar um crescimento no número de edifícios licenciados. Assim, foram licenciados 6 mil edifícios, apresentando um crescimento de 10,7% face ao período homólogo de 2018, revelam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quarta-feira.

Apesar de se ter verificado um crescimento, em relação ao quatro trimestre de 2018 verificou-se uma desaceleração. Os edifícios para novas construções cresceram 11,7% e o licenciamento para reabilitação aumentou 8,2%, no entanto, verificou-se uma desaceleração face ao trimestre anterior (28,8% e 22,2%, respetivamente).

Os municípios que mais contribuíram para a variação absoluta do número de fogos licenciados foram Braga, com 17,9% da variação total, Lisboa, 14,2%, Vila Nova de Famalicão, 8,7%, Albufeira, 7,7%, Guimarães, 6,4%. Os cinco municípios que apresentaram a maior variação no número total de fogos licenciados foram responsáveis pelo licenciamento de 22,4% do total de fogos.

A Região Autónoma dos Açores foi a única que apresentou uma variação negativa no número de edifícios licenciados, com -3,6%. As restantes regiões do país apresentaram variações positivas face ao período homólogo, com destaque para a Região Autónoma da Madeira, com 31,7%, e Algarve com 31,2%.

Os edifícios concluídos registaram, por sua vez, um acréscimo de 7,2% (18,8% no quatro trimestre de 2018), perfazendo 3,7 mil edifícios. Na sua maioria, estes correspondera, a construções novas (73,4%), das quais 73,3% tiveram como destino a habitação familiar, revelam os dados do INE.

As regiões Norte e Alentejo apresentaram variações homólogas negativas nos edifícios concluídos: -2,1% e -0,6%, respetivamente. As restantes regiões apresentaram variações homólogas positivas, com destaque para a Área Metropolitana de Lisboa (+48,5%), a Região Autónoma dos Açores (+44,7%) e a Região Autónoma da Madeira (+16,4%).

Do total de edifícios concluídos, 66,6% localizaram-se nas regiões Norte e Centro, onde se situaram também 60,6% do total de fogos concluídos em construções novas para habitação em todo o país. Na região Norte situaram-se 37,3% dos edifícios e 35,2% dos fogos concluídos, enquanto na Área Metropolitana de Lisboa foram concluídos 14,2% do total de edifícios e 22,4% do total de fogos do país.

Ler mais

Recomendadas

Sacyr Somague ganha novas adjudicações de 95 milhões

Construtora ganhou empreitada para a remodelação integral do edifício Monumental por um prazo de 16 meses.

Setor da construção cresce 6% em 2019

A produção do setor da construção “revelou um sensível dinamismo” em 2019 e cresceu 6%, face ao ano anterior, segundo a análise de conjuntura da Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP).

AICCOPN promove debate sobre novo regime de requalificação de edifícios

Manuel Reis Campos, presidente da associação, presidirá à sessão de abertura do seminário que se vai realizar hoje, dia 28 de novembro, no Porto.
Comentários