EDP Renováveis assegura contratos em leilão de energia eólica em Itália

O elétrica nacional acrescenta novos ativos no segmento das renováveis, nomeadamente na produção eólica, desta vez no mercado italiano.

A EDP Renováveis assegurou um Contract for Diference (CfD) de 20 anos, no leilão de energia eólica italiano, para a venda da energia eólica produzida por dois parques com capacidade total de 54 MW, referiu o grupo nacional em comunicado enviado aos mercados.

Os projetos eólicos deverão ter inicio das operações em 2021. A capacidade atribuída à EDPR representa mais de 10% da capacidade total do leilão e tem um preço médio atribuído de 63 euros por MWh.

Com estes novos contratos a EDPR já assegurou 1,3 GW de projetos a serem instalados na Europa no âmbito do Plano de Negócio para 2019-2022. “A energia eólica é uma parte essencial da transição energética global, impulsionando o crescimento e aumento da competitividade”, refere o grupo no mesmo documento.

Atualmente, a EDPR tem assegurado 84% dos 7,0 GW de capacidade build-out eólica e solar prevista para o período de 2019-2022, conforme anunciado no Strategic Update de março de 2019, e continuará a analisar e desenvolver projetos rentáveis.

Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários