Empresas portuguesas marcam presença em feira do agroalimentar em Berlim

A participação portuguesa insere-se no Projeto Conjunto de Internacionalização 2016-2018, financiado pelo COMPETE 2020.

A Associação do Cluster Agroalimentar do Centro (InovCluster) juntamente com cerca de dez empresas portuguesas marca presença na feira de agricultura, floricultura e alimentação, que se inicia hoje em Berlim e decorre até ao dia 28 de janeiro.

Pela quinta vez consecutiva, Portugal conta com uma participação conjunta na Green Week, através da InovCluster, com o objetivo de promover o contacto com os agentes económicos do setor agroalimentar. O evento vai contar com a visita do ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos.

“O setor agroalimentar é já um dos grandes motores da economia nacional, exportando 95% do que produz, e a Green Week é um palco privilegiado no que toca a mostrar ao mundo a qualidade dos produtos portugueses, mas não só. Para os empresários, estas feiras são uma excelente oportunidade para estabelecer contactos, gerar negócios e afirmar os produtos nacionais e o setor agroalimentar português no mercado europeu e mundial”, disse, em comunicado, a presidente da associação agroalimentar, Cláudia Domingues Soares.

Entre as empresas portuguesas que vão estar presentes na mostra internacional, encontram-se a Associação Nacional de Produtores de Pera Rocha, o Centro de Estudos e Promoção do Azeite do Alentejo, a produtora de queijos Damar e a Beira Salgados.

A associação refere que estarão presentes na Green Week mais de mil expositores de 67 países e são esperados mais de 400 mil visitantes.

A participação portuguesa insere-se no Projeto Conjunto de Internacionalização 2016-2018, financiado pelo COMPETE 2020.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) referentes a 2015, entre os principais produtos exportados de Portugal para o mercado alemão destacam-se as bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres (48,1 milhões de euros), frutas (34,9 milhões de euros) e preparações de produtos hortícolas (29,8 milhões de euros).