Insolvências de empresas diminuem 22% em novembro

No acumulado do ano, Leiria, Viseu e Portalegre foram os distritos portugueses com a maior queda nas insolvências.

As insolvências de empresas em Portugal diminuíram 22% em novembro, para 511, comparativamente ao período homólogo do ano passado, revelam os dados da consultora Iberinform divulgados esta quinta-feira.

No valor acumulado de 2018 também houve uma descida (de 5,6%), para 5.461 insolvências. O mesmo aconteceu como os encerramentos com plano de insolvência e as declarações de insolvência, que caíram 34,6% e 4,2%, pela mesma ordem.

Olhando para os distritos nos quais houve maiores quedas, Leiria (-28,7%), Viseu (-27,1%) e Portalegre (-26,5%) estão no pódio, seguindo-se de Setúbal (-26%), Évora (-24%) e Madeira (-22,8%). Por outro lado, as duas metrópoles de Lisboa e Porto tiveram o maior número de insolvências: 1.466 e 1.288 respetivamente.

“A Indústria Extrativa (58,3%), o Comércio por Grosso (6,8%) e a Agricultura, Caça e Pesca (1,3%) são os setores com maiores aumentos no número de insolvências. As maiores reduções registam-se nas atividades de Telecomunicações (-44,4%), Comércio a Retalho (-18,2%), Hotelaria e Restauração (-13,5%), Construção e Obras Públicas (-8,1%), Transportes (-7,6%) e Comércio de Veículos (-4,1%)”, assinala o relatório da filial da seguradora Crédito y Caución.

As insolvências caem e as constituições de novas organizações sobem. Houve mais 298 novas empresas  (+8,9%) do que em novembro de 2017 e já se somam de 41.645 constituições nos primeiros 11 meses deste ano. “Lisboa – com 14.586 novas empresas – é o distrito com mais constituições e um aumento de 14,7% relativamente a 2017”, refere a Iberinform.

Recomendadas

“Vamos assistir à terceirização do e-commerce”, afirma presidente da ACEPI

O presidente da ACEPI, Alexandre Nilo Fonseca, considera que o ramo alimentar, “que até agora tem estado um bocadinho afastado do digital”, vai assistir a uma evolução no comércio ‘online’.

VAR provoca perdas de milhares de euros

Portugal está a adaptar-se ao VAR e se dentro do campo ainda reina a polémica, fora das quatro linhas, entre quem aposta, o cenário não muda. A ‘escaldante’ final four da Taça da Liga resultou em perdas de milhares de euros.

União Europeia facilita compras digitais mas Portugal falha prazo

“A Comissão está a acompanhar de perto a situação e em breve decidiremos as próximas medidas para garantir que todos os Estados-membros cumprem as suas obrigações”, diz Nathalie Vandystadt, porta-voz de Bruxelas.
Comentários