Libra esterlina alcança máximos de dois meses após os dados da inflação

A inflação do retalho no Reino Unido subiu fortemente em agosto. O IPC avançou 2,7% no comparativo anual, o que compara com uma subida de 2,5% registada em julho, o que coloca o custo de vida nos ingleses no seu nível mais alto nos últimos seis meses.

Jason Alden/Bloomberg

A libra esterlina alcança máximos de dois meses após os dados da inflação. A análise é de Aitor Méndez Riesgo, da IG. A libra chegou a subir hoje ao nível mais alto dos últimos dois meses, com um intraday máximo de 1,32149 dólares por libra. Isto é a primeira vez que acontece desde julho. Nesta altura já corrigiu um pouco e está nos 1,3158 dólares (+0,08%).

A inflação do retalho no Reino Unido subiu e fortemente em agosto. O IPC avançou 2,7% no comparativo anual, o que compara com uma subida de 2,5% registada em julho, o que  coloca o custo de vida nos ingleses no seu nível mais alto nos últimos seis meses.  Isto quando o consenso dos analistas esperava uma desaceleração da inflação para 2,4%, diz Aitor Méndez.

Na comparação mensal, os preços subiram 0,7%, seu maior avanço desde fevereiro.

A inflação subjacente, aquela que exclui para o seu cálculo os bens mais voláteis como os alimentos frescos e os combustíveis, também sobe de forma inesperada no comparativo inter-anual, com uma subida de 1,9% para 2,1%, o que supera também o objetivo do Banco de Inglaterra (BoE), que é igual ao do resto dos grandes bancos centrais e se situa nos 2%.

A moeda com melhor desempenho na última semana foi também a libra esterlina, que subiu para o seu nível mais forte em relação ao dólar dos EUA em 6 semanas.

O mercado está a partir do pressuposto de que um acordo para o Brexit, de uma forma ou de outra, será feito.

 

Ler mais
Recomendadas

Onda negativa varre bolsas europeias. Lisboa cai mais de 1%

Pela terceira sessão consecutiva o índice lisboeta caiu. Hoje Lisboa acompanhou as principais praças europeias, mas liderando nas quedas. O petróleo cai e os juros melhoram.

Wall Street em baixa à espera do resultado da reunião da Fed

Possível anúncio das subidas das taxas de juro na quarta-feira já afetou o sentimento dos investidores. É o pior mês de dezembro de Wall Street em 16 anos devido à conjuntura económica.

BdP: Crédito ao consumo aumenta em outubro 2,5%

O montante dos novos contratos de crédito aos consumidores aumentou 2,5% em outubro face ao mesmo mês do ano passado e 14,9% face ao mês anterior de setembro, segundo dados do Banco de Portugal hoje divulgados.
Comentários