Novo ano arranca com 9.400 metros quadrados de escritórios contratados em Lisboa

Apesar deste valor, existiu um decréscimo residual na ordem dos 3% comparativamente ao período homólogo de 2018.

Janeiro de 2019 registou 9.400 metros quadrados de espaços de escritórios contratados, de acordo com a Savills Portugal. No comunicado emitido esta terça-feira, a consultora imobiliária revela que foram verificadas 12 operações, menos 6 operações do que no mesmo mês de 2018, o que representou um decréscimo de 3%.

A zona 2, representada pelo Eixo da Avenida da República, Avenida Duque de Loulé e a zona das Amoreiras, foi a que obteve melhor desempenho, num total de 5.494 metros quadrados de espaços absorvidos, para a qual contribui uma operação de 3.579 metros quadrados realizada pela Savills Portugal.

“O ano 2019 arranca com um ligeiro atenuar da atividade de ocupação já esperado pela falta de oferta no mercado e que irá marcar os resultados deste ano. Ainda assim o mercado registou 3 operações acima dos 1.000 metros quadrados, que vieram elevar uma lista de ocupações maioritariamente dominada por ocupações de espaços abaixo dos 500 metros quadrados”, afirmou Alexandra Portugal Gomes, analista do departamento de research da Savills Portugal

Os setores de atividade Serviços Empresas e TMT´s & Utilities foram os mais ativos, tendo ocupado 4.691 metros quadrados e 2.007 metros quadrados, respetivamente.

Segundo Rodrigo Canas, diretor do departamento de escritórios da Savills Portugal estes dois setores são “os grandes impulsionadores do mercado de escritórios de Lisboa e prevê-se que mantenham os seus níveis de dinamismo. Apesar da oferta escassa que este ano se fará sentir com maior intensidade, o mercado de Lisboa continuará na lista de preferências de localização de um leque variado de empresas internacionais”.

Recomendadas

PremiumA mesma taxa de esforço, numa casa três vezes maior

No Barreiro, uma família com rendimentos médios de 1.411 euros e uma taxa de esforço de 33% consegue comprar uma casa de 155 m2. Em Lisboa, com rendimentos médios de 1.733 euros e a mesma taxa de esforço, é possível comprar uma casa de 50 m2.

Isabel dos Santos compra mansão em Londres no valor de 14 milhões de euros

A residência fica na zona de Kensington uma das mais luxuosas da capital inglesa. Contudo, o negócio está a gerar polémica entre os vizinhos, já que Isabel dos Santos pretende demolir e reconstruir a casa com um piso adicional subterrâneo.

Programa de Arrendamento Acessível comprometido por falta de interesse das Seguradoras

Em abril de 2018, após ser apresentado o Programa de Arrendamento Acessível, Ana Pinho, secretária de Estado da Habitação, afirmou que o “pacote de seguros para as rendas acessíveis está pronto a ser lançado”, algo que passado mais de um ano não se verifica.
Comentários