Preços da habitação aumentam 11,2% no segundo trimestre

Apesar da subida, os dados do INE revelaram uma interrupção da aceleração dos preços, que tinha sido consecutiva durante os cinco trimestres anteriores.

No segundo trimestre de 2018, os preços da habitação registaram um aumento de 11,2%, menos um ponto percentual que no trimestre anterior, em termos homólogos. Com esta subida, a aceleração dos preços, que foi consecutiva durante os cinco trimestres anteriores, é interrompida, revelou o Instituto Nacional de de Estatísticas (INE), esta sexta feira, 21 de setembro.

”O aumento observado nos preços neste período foi mais intenso no caso das habitações existentes (12,6%, o dobro do apresentado para as habitações novas)”. adiantou o INE.

”No trimestre de referência, o ritmo de crescimento dos preços das habitações existentes foi o dobro do observado nas habitações novas (12,6% e 6,3%, respetivamente). Em relação ao trimestre anterior, o IPHab [Índice de Preços da Habitação] aumentou 2,3% (3,7% no primeiro trimestre de 2018), devido sobretudo ao comportamento dos alojamentos existentes, que registaram uma taxa de variação de 2,9%, tendo os alojamentos novos apresentado um aumento residual de 0,1%.” anuncia o comunicado.

Segundo o INE, foram registadas, entre abril e junho de 2018, 45.619 habitações transacionadas, ”o que representa um aumento de 23,7% face ao mesmo período do ano anterior”.

O valor das rendas também subiu, estimando um acréscimo de aproximadamente 6,2 mil milhões de euros, ”mais 34,9% do que no segundo trimestre de 2017.”, revela o instituto.

Relacionadas

Como gere as suas finanças pessoais? Esta é a melhor forma de planear o orçamento familiar

É comum ouvirmos falar em gestão de finanças pessoais e no orçamento familiar. Contudo, e face às dificuldades que todas as famílias atravessam, como podemos estabelecer um orçamento familiar e poupar?

Taxa de juro no crédito à habitação aumenta pelo terceiro mês consecutivo

Valor médio da prestação vencida para os contratos de crédito à habitação baixou para 268 euros na Madeira.

Governo desconhece quanto custam as medidas fiscais para o arrendamento, diz Helena Roseta

“A Assembleia da República não sabe a data dos contratos, se são de agora ou de há 10 anos, nem quanta receita se deixa de ter”, referiu a deputada Helena Roseta, durante uma conferência sobre o imobiliário em Portugal realizada esta quarta-feira.

Está a pensar vender a sua casa? Estes extras podem ajudar na valorização

Estar atento às últimas tendências do mercado imobiliário pode fazer a diferença na rapidez ou demora para encontrar um comprador para a sua habitação (até porque nem sempre o orçamento para realizar obras está disponível).
Recomendadas

FESAP: ”É um orçamento de continuidade e sem grande novidade”

”O Orçamento de Estado dá continuidade ao período mais longo da democracia sem qualquer aumento salarial. Não podemos estar contentes. É uma desilusão a ausência de propostas concretas.” revelou João Abraão, em declarações ao Jornal Económico.

Verdes estão certos de que “sozinho, o PS traria muito menos investimento”

Apesar de admitir que os valores de investimento previstos estão abaixo dos consagrados no OE2015, no então governo do PSD, a deputada Heloísa Apolónia garante que este aumento “já é significativo”.

Frente Comum: “Não é com 50 milhões que se faz aumento de salários”

”Eu estou a ler o Orçamento de Estado. Estou aqui às voltas e não consigo descobrir o dinheiro dos salários, ele deve estar em algum sítio” , revelou Ana Avoila, em declarações ao Jornal Económico.
Comentários