BE contra interrupção do ferry

O partido defende uma ligação ferry o ano inteiro defendendo que esta é auto-sustentável se não se criarem obstáculos artificiais.

O BE manifestou-se contra a interrupção do ferry entre a Madeira e o Continente.

“Uma ligação marítima de passageiros é um serviço público que já demonstrou no passado e novamente este ano ter adesão dos madeirenses e de forasteiros. Esta modalidade alternativa de transporte de mercadorias é uma mais-valia para a economia regional”, defendem os bloquistas.

Para o BE Madeira deve existir uma ligação ferry “todo o ano” que realça que esta é auto-sustentável se não se “obstáculos artificiais” defendendo que a Região deve considerar gerir este serviço directamente ou através de uma empresa pública.

Os bloquistas vão juntar-se a uma manifestação, à entrada do porto, a partir das 17h30.

Recomendadas

PSD diz que a Madeira “pode orgulhar-se” de ser a primeira no País a avançar com estatuto do cuidador informal

João Paulo Marques diz que a proposta “prova” que o Governo Regional tem a intervenção e o apoio social como áreas prioritárias de governação, “não só apoiando quem mais precisa, mas, com o estatuto do cuidador informal, cuidando de quem cuida e dando condições para que os familiares possam cuidar dos seus doentes em casa, que é onde deles precisam e onde merecem estar”.

Madeira espera subida para 40% na produção de eletricidade através de energia renovável

Esta produção deve subir com a construção da barragem do Paul da Serra e no Túnel do Pedregal.

Greve da função pública fecha escolas na Madeira

A Educação e a Saúde são os setores mais afetados pela greve na Madeira. Ricardo Gouveia, do Sindicato de Trabalhadores da Função Pública da RAM, refere que estes são os serviços onde há mais falta de recursos humanos e carência de pessoal. Quanto aos Hospitais da Região, o Sindicato diz que a adesão anda à volta dos 75%.
Comentários