Câmara de Lisboa duplica taxa turística em 2019

A Câmara de Lisboa vai aumentar a Taxa Municipal Turística em 2019, de um para dois euros por noite, para reforçar a limpeza urbana e os transportes nas zonas com maior pressão do turismo, anunciou hoje a autarquia.

O vereador do Bloco de Esquerda (BE), Manuel Grilo, adiantou à agência Lusa que haverá “um aumento de 100% da taxa turística, que vai passar de um para dois euros por noite”, a partir de 1 de janeiro do próximo ano.

“A receita desta taxa turística será naturalmente encaminhada para atender em especial às questões da limpeza urbana e dos transportes nas zonas em que o turismo tem uma maior pressão, uma maior expressão e, portanto, têm maiores problemas nestes domínios”, vincou o vereador da Educação e dos Direitos Sociais.

No acordo de governação da cidade firmado entre PS (que lidera o executivo) e BE, após as últimas eleições autárquicas, constava que o valor da taxa iria ser reavaliado até 1 de janeiro de 2019.

Aprovada em 2014, a Taxa Municipal Turística começou a ser aplicada em janeiro de 2016 sobre as dormidas de turistas nacionais (incluindo lisboetas) e estrangeiros nas unidades hoteleiras ou de alojamento local, sendo cobrado um euro por noite até um máximo de sete euros.

Isentos deste pagamento estão as crianças até 13 anos, assim como quem pernoita na cidade para obter tratamento médico e os seus acompanhantes.

Recomendadas

PremiumDesafios e oportunidades da economia circular

O Observatório “Economia Circular: Desafios e Oportunidades para a Economia Portuguesa”,decorrerá a 23 de outubro, na Sala Ajuda III do Pestana Palace, em Lisboa. “A Economia Circular constitui hoje um tema prioritário da política pública nacional, estando o tema bem identificado nas Grandes Opções do Plano para 2019”, afirma Licínio Pina, presidente conselho de administração do Crédito Agrícola, entidade parceira do Jornal Económico na promoção do evento.

Hotelaria e restauração aplaudem reposição do IVA nas bebidas no OE2019

Ainda assim, para a AHRESP, a meta são os 10%. A redução dos custos de contexto que afetam a atividade das empresas deste setor, e particularmente dos custos com o trabalho, que não foram tidas em conta pelo Governo para este orçamento, acredita a associação.
apoiado por

Cibersegurança é vital para garantir a continuidade dos negócios

O negócio da segurança está em crescimento acelerado. Só em Portugal, segundo Gabriel Coimbra, da IDC, o valor do mercado de segurança deverá crescer cerca de 39% entre 2017 e 2022, passando de um valor de 130 milhões de euros para cerca de 181 milhões. Os serviços de segurança terão um crescimento médio anual de 9%, enquanto o crescimento médio anual (CAGR) de software e o hardware deverá rondar os 7% e 2% respetivamente.
Comentários