Decisão sobre Infarmed é coerente e teve em conta vontade dos trabalhadores, realça ministro da Saúde

Para Campos Fernandes, a análise feita pelo grupo de trabalho sobre a manifestação da vontade dos trabalhadores, que não pretendiam mudar para o Porto, constitui uma “barreira” à deslocalização do Infarmed.

Tiago Petinga/Lusa

O ministro da Saúde considera que a decisão de suspender para já a deslocalização do Infarmed para o Porto “é coerente” com o que Governo tem afirmado e foi tomada tendo em conta a vontade dos trabalhadores da instituição.

Em resposta a críticas do CDS-PP, Adalberto Campos Fernandes disse hoje na comissão parlamentar de Saúde que “há uma decisão coerente com o que foi dito na altura” em que o Governo anunciou a deslocalização da sede da Autoridade do Medicamento de Lisboa para o Porto e quando nomeou a comissão para estudar os cenários e impactos dessa deslocalização.

O ministro entende que o contexto político mudou, uma vez que foi constituída uma comissão na Assembleia da República para avaliar questões da descentralização de serviços públicos e entende que a questão do Infarmed não deve ser extraída dessa comissão, apesar de no caso da Autoridade do Medicamento se tratar de uma deslocalização.

No final da audição na comissão parlamentar de Saúde de hoje, na qual fez o anúncio sobre o Infarmed em declarações à agência Lusa, Campos Fernandes reiterou que “sempre disse” que a decisão política de deslocalizar a sede da instituição estava subordinada a linhas vermelhas, sendo uma dessas linhas a vontade dos trabalhadores do Infarmed de mudarem.

Segundo o ministro, o Ministério da Saúde terminou este mês a análise ao relatório do grupo de trabalho criado para estudar os cenários da deslocalização do Infarmed e foi com base nesse relatório, em conjunto com o “atual contexto político”, que decidiu que a questão do Infarmed iria ser analisada para a comissão criada na Assembleia da República.

Para Campos Fernandes, a análise feita pelo grupo de trabalho sobre a manifestação da vontade dos trabalhadores, que não pretendiam mudar para o Porto, constitui uma “barreira” à deslocalização do Infarmed.

“É uma decisão tomada pelo ministro da Saúde tendo em conta o que resulta do relatório e tendo em conta o contexto político”, afirmou à agência Lusa.

Ler mais
Recomendadas

PS deverá viabilizar alguns dos 10 projetos de lei do PSD sobre habitação e arrendamento urbano

O PSD apresentou 10 projetos de lei sobre habitação e arrendamento urbano que serão discutidos e votados hoje em reunião plenária na Assembleia da República. O PS admite viabilizar alguns desses projetos, abstendo-se ou votando a favor.

Turismo no interior vai receber reforço de investimento de 10 milhões

“A Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior, criada em 2017, tem sido um instrumento fundamental para dinamizar a procura turística nos territórios de baixa densidade”, explica a Secretaria de Estado do Turismo.

Parlamento sueco vai novamente a votos na tentativa de colocar um fim ao impasse político

O país encontra-se sem Governo desde o passado mês de setembro, depois do Parlamento ter rejeitado a eleição de Stefan Lofven enquanto primeiro-ministro e líder da coligação entre Sociais-democratas, Partido do Centro e Democratas-Cristãos.
Comentários