Estados Unidos querem entrar na CPLP

Esta informação foi dada à ONU News em Nova Iorque pelo secretário executivo do bloco lusófono, o embaixador português Francisco Ribeiro Telles.

Os Estados Unidos formalizaram uma solicitação de entrada na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), como membro associado.

Segundo a ‘newsletter’ digital da APLOP – Associação dos Portos de Língua Portuguesa, esta informação foi dada à ONU News em Nova Iorque pelo secretário executivo do bloco lusófono, o embaixador português Francisco Ribeiro Telles.

“O Departamento de Estado norte-americano diz que o pedido visa aproximar os EUA das diásporas lusófonas no seu território, que incluem principalmente brasileiros, cabo-verdianos e portugueses”, referiu Francisco Ribeiro Telles.

A CPLP tem sede em Lisboa e integra, além de Portugal, o Brasil, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Angola, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Timor-Leste e Guiné Equatorial, este último país tendo gerado grande polémica.

Segundo a Wikipédia, Macau, atualmente um território de administração especial da República Popular da China, e a Galiza, uma comunidade autonómica de Espanha, têm interesse em aderir à CPLP, assim como outros 17 países no mundo.

Notícia atualizada às 21h09m

Ler mais
Recomendadas

Confrontos entre manifestantes e polícias abalam principais cidades dos EUA

Confrontos entre manifestantes e polícias abalaram no sábado à noite as principais cidades dos Estados Unidos, colocadas sob recolher obrigatório, na sequência da morte do afro-americano George Floyd.

Faltam 20 minutos. Dois astronautas da SpaceX preparam-se para lançamento histórico

Doug Hurley e Bob Behnken terão 19 horas de voo até à Estação Espacial Internacional. É o primeiro voo espacial tripulado da empresa privada SpaceX, de Elon Musk.

PremiumReeleição de Donald Trump começa a estar claramente posta em causa

À medida que novembro se aproxima, as expectativas de um segundo mandato do atual presidente esbarram na forma comoa Casa Branca lidou com a pandemia, mas sobretudo na incapacidade de relançar a economia no caminho do crescimento.
Comentários