PremiumFundo Apollo com quatro ofertas vinculativas para Tranquilidade e Açoreana

A operação de venda da Seguradoras Unidas está na reta da meta. A Ageas terá a melhor proposta, mas ainda não está escolhido o vencedor.

Há quatro propostas vinculativas para comprar a Seguradoras Unidas (que inclui a Tranquilidade e a Açoreana). A operação aproxima-se do desfecho, uma vez que o calendário indicativo prevê fechar um acordo de venda até ao fim de junho. Segundo as nossas fontes, as quatro propostas são da Ageas, da Mapfre, da Allianz e da Generali. Confrontada a Apollo e a Tranquilidade não comentaram.

O objetivo do fundo Apollo é ter um vendedor escolhido para um contrato de promessa de compra e venda até ao fim de junho.

As mesmas fontes revelam que a proposta da Ageas será a mais elevada em termos de preço, ultrapassando mesmo a da espanhola Mapfre, mas não foi possível confirmar esta informação. Segundo confidenciou uma fonte conhecedora do processo, o preço poderá não ser o único critério de escolha da Apollo Global Management, dona da Seguradoras Unidas, pois há também a celeridade da venda. Uma operação que enfrente mais entraves na Autoridade de Concorrência poderá ser preterida em favor de outra menos elevada financeiramente, mas em que não se avizinham grandes obstáculos no supervisor da Concorrência.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Lucros de seis bancos em Angola afundam 28% no primeiro semestre

A crise que se instalou neste país africano obrigou as instituições bancárias a procurem alternativas de negócios que os permitisse maximizar os seus resultados

Valor gerido por fundos de investimento imobiliário cai 26 milhões de euros em julho

A Interfundos (13,1%), a Norfin (10,4%) e a Square AM (10,3%) detinham as quotas de mercado mais elevadas em julho.

Bundesbank alerta que economia alemã pode estar a entrar em recessão

O Bundesbank, banco central alemão, alertou esta segunda-feira que a economia alemã, a maior da Europa, pode estar a recuar durante os meses de verão, depois da contração já registada no segundo trimestre, aumentando a possibilidade de entrar em recessão.
Comentários