Governo lança sistema de incentivos na Administração Pública

“Além de promover o envolvimento e participação dos trabalhadores, privilegia a maior autonomia e o reconhecimento do mérito”, defende o ministro das Finanças.

Cristina Bernardo

O governo português lançou esta quarta-feira, dia 27 de junho, o Sistema de Incentivos na Administração Pública, com o objetivo de estimular as práticas inovadoras na gestão pública em termos de valorização dos recursos humanos, melhoria dos ambientes de trabalho e desenvolvimento de modelos de gestão, revelou o ministro das Finanças.

“Para apoiar a atuação, o governo criou o Sistema de Incentivos (..). Além de promover o envolvimento e participação dos trabalhadores, privilegia a maior autonomia e o reconhecimento do mérito”, argumentou Mário Centeno, após a publicação em Diário da República do diploma que estabelece este novo mecanismo, que entra em vigor amanhã, quinta-feira.

Mário Centeno falava na conferência “Inovação na Gestão da Administração Pública”, integrada no ciclo de encontros sobre “Construir a Administração Pública do Futuro”, organizada pelo INA – Direção-Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas.

O governante defendeu que “inovar não é uma moda mas uma questão de sobrevivência de todas as organização, públicas ou privadas” e que as administrações públicas “de hoje não são as do passado”. “A primeira promessa de inovação vai ser a intervenção do ministro das Finança, que pela primeira vez numa intervenção, não tem um único número”, confessou.

Segundo a portaria 186/2018, “para estimular as práticas inovadoras na gestão pública são desenvolvidas ações de capacitação para a inovação, incluindo ações de formação, experiências de trabalho em instituições internacionais inovadoras ou outros incentivos análogos que reforcem as competências para a inovação”. O INA assegurará a realização dessas iniciativas.

Para o Ministro das Finanças, a forma como a AP é gerida e presta serviços tem-se alterado porque, embora seja vistas com frequência como uma máquina pesada, avessas a novos desafios, a realidade é que isso corresponde a estereótipos que não são a realidade.

Mário Centeno salientou ainda no seu discurso que a estratégia  de inovação da AP proporciona as condições fundamentais para o futuro, sendo que a “criação e implementação das mudanças é facilitada pelas novas tecnologias mas o papel dos dirigentes da administração é importante”: “Inovar exige visão antecipação criatividade persistência avaliação e partilha, requer que tenhamos as inovações necessárias, dentro da organização mas também fora se necessário”.

No mesmo evento, o INA divulgou o programa de capacitação de inovação e anunciou que em breve será aberto o prazo de candidaturas para os prémios. Mais tarde, fará um roadshow na AP para apresentar o sistema.

Ler mais

Relacionadas

Governo está a avaliar 52 candidaturas de projetos de inovação na administração pública

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa participa na conferência “Construir hoje a Administração Pública do Futuro”, onde defendeu que o Estado tem de ser mais eficiente.

Emprego em 2017 cresceu para o nível mais elevado desde 2011

Entre 2016 e 2017, os contratos sem termo cresceram mais que os contratos de trabalho a termo, 4,7 e 3,3%, respetivamente, o que aconteceu pela “primeira vez em vários anos”, explicou o secretário de estado. Assim, em 2017, quase 3 milhões dos trabalhadores por conta de outrem tinham contratos sem termo enquanto 700 mil trabalhadores eram contratados a termo.

Eduardo Cabrita considera que a descentralização “é decisiva” para a melhoria das políticas públicas

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, insistiu hoje, na Figueira Foz, na ideia de que a descentralização de competências para o poder local é “decisiva” para a melhoria das políticas públicas. “Estamos a viver um momento que não pode ser desperdiçado”, sublinhou o governante.
Recomendadas

Agricultura de precisão é o caminho de futuro

Sensores de rega gota a gota, utilização de GPS, crescente informatização dos processos produtivos e de logística são as tendências do setor da agricultura em Portugal. Conheça os desafios e os projetos.

Goldman Sachs prevê contração da economia norte-americana em 4,6% este ano

Os economistas do banco reviram em baixa as estimativas para a evolução do PIB dos Estados Unidos. No entanto, melhoraram as previsões para a taxa de desemprego.

CFP afasta cenário de recuperação económica rápida

Em entrevista à ‘Antena 1’ e ‘Jornal de Negócios’, Nazaré da Costa Cabral voltou ainda a falar sobre o Orçamento Suplementar:“Há aqui uma perspetiva de subestimação da queda do produto e de certas das suas componentes que podem comprometer a cobrança de receita fiscal”.
Comentários