Governo quer IVA de 6% para jornais e revistas online

Com esta medida, o PS pretende “contribuir para a sustentabilidade económica dos órgãos de comunicação social que fizeram investimentos nos suportes digitais das suas publicações”.

O PS apresenta hoje uma proposta de alteração ao Orçamento do Estado para 2019 no sentido de reduzir de 23 para 6% o IVA aplicado às publicações de jornais e revistas em suporte digital.

Se esta proposta for aprovada em sede de debate na especialidade do Orçamento do Estado para 2019, as publicações em suporte digital passarão a ter a mesma taxa de IVA, a mínima de 6%, já aplicada às publicações de jornais e revistas em suporte de papel.

Fonte da bancada socialista disse à agência Lusa que, com esta medida, o PS pretende “contribuir para a sustentabilidade económica dos órgãos de comunicação social que fizeram investimentos nos suportes digitais das suas publicações”.

Ainda de acordo com a mesma fonte, o PS quer ainda “contribuir para a migração” da informação em suporte de papel para o digital.

Um membro da bancada socialista referiu também à agência Lusa que a oportunidade da medida do PS se relaciona diretamente com o facto de, em 02 de outubro passado, ter sido aprovada uma diretiva europeia sobre esta matéria.

“Só após a concretização deste passo no Conselho e no Parlamento Europeu foi possível apresentar esta proposta” em sede de Orçamento do Estado para 2019, justificou o mesmo deputado do PS.

Ler mais
Recomendadas

Arábia Saudita e Emirados “preocupados” com eventual subida dos ‘stocks’ de petróleo

“Nenhum de nós quer ver os stocks novamente a aumentar, temos de ser cautelosos”, disse o ministro da Economia da Arábia Saudita, referindo-se à situação no final de 2018 que levou a uma quebra acentuada do preço do “ouro negro” no mercado internacional.

Marisa Matias diz que Bruxelas “está a preparar um assalto às pensões”

A eurodeputada acusa Bruxelas qde querer reduzir a Segurança Social “a um sistema de esmolas para pobres, empurrando quem pode para produtos privados e quem não pode para a miséria”.

ONU diz ao governo italiano que decreto viola direitos dos migrantes

Os investigadores afirmam que o decreto parece ser mais uma tentativa política para criminalizar as operações de busca e salvamento” que “intensifica ainda mais o clima de hostilidade e xenofobia contra os migrantes”.
Comentários