Grupo ISQ expande atividade para a Ásia

Segundo Pedro Matias, presidente do ISQ, “há vários investimentos a serem desenvolvidos no Cazaquistão em áreas como Infra-estruturas, Pipelines, Oil&Gas, Refinarias, Redes de Energia, Energias Renováveis, Mineração, Indústrias de Processo, etc., e o ISQ pode colocar as suas competências ao serviço destas indústrias”.

O Grupo ISQ anunciou hoje a abertura de uma delegação no Cazaquistão no âmbito do seu processo de internacionalização, de acordo com comunicado da empresa.

Segundo Pedro Matias, presidente do ISQ, “há vários investimentos a serem desenvolvidos no Cazaquistão em áreas como Infra-estruturas, Pipelines, Oil&Gas, Refinarias, Redes de Energia, Energias Renováveis, Mineração, Indústrias de Processo, etc., e o ISQ pode colocar as suas competências ao serviço destas indústrias”.

O ISQ é, já hoje, uma empresa global que já opera em mais de 20 geografias e para grandes multinacionais, “temos 1400 colaboradores, 800 em Portugal e 600 espalhados por todo o Mundo. O que fazemos em Portugal e no Mundo e que é reconhecido como de excelência podemos fazer também no Cazaquistão e mesmo na região da Eurásia”, complementa Pedro Matias.

Recomendadas

Google suspende negócios com a Huawei após lista negra de Trump

A Huawei vai perder imediatamente acesso a atualizações do sistema operativo Android, e a próxima versão dos seus smartphones fora da China vai também perder acesso a aplicações e servios, incluindo o Google Play Store e o Gmail app.

Empresas do vinho do Porto satisfeitas com devolução de diploma sobre Casa do Douro

Criada em 1932 para defender os viticultores e a viticultura duriense na mais antiga região regulamentada e demarcada do mundo, a Casa do Douro foi perdendo atribuições até que a sua dimensão pública foi extinta em dezembro de 2014, no Governo PSD/CDS-PP, e a sua gestão entregue a uma organização privada, a Federação Renovação do Douro.

Cellnex e DST/Cube avançam para compra da fibra óptica da MEO

Há três candidatos que se preparam para avançar com propostas vinculativas para comprar a rede de fibra ótica da Meo. Entre eles a espanhola Cellnex e a DST em parceria com o Fundo Cube.
Comentários