Hotelaria e restauração aplaudem reposição do IVA nas bebidas

Ainda assim, para a AHRESP, a meta são os 10%. A redução dos custos de contexto que afetam a atividade das empresas deste setor, e particularmente dos custos com o trabalho, que não foram tidas em conta pelo Governo para este orçamento, acredita a associação.

O compromisso assumido pelo Governo, no âmbito do Orçamento de Estado para 2019 (OE2019), no qual renova a autorização legislativa para a Reposição da Taxa do IVA dos Serviços de Bebidas, foi bem recebido pela AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP).

Contudo, a associação não deixa de salientar que a expectativa das empresas do setor é a de que, no decorrer de 2019, o Governo proceda à reposição integral das bebidas, aproximando Portugal da fiscalidade praticada nos principais concorrentes, nomeadamente Espanha, França e Itália, todos com uma taxa de IVA de 10%.

Considerando que a proposta de Lei para o OE2019, contempla algumas das principais preocupações das empresas dos setores da restauração e bebidas e do alojamento turístico, a associação frisa como pontos positivos, a estabilidade fiscal ao nível do Alojamento Local, sem qualquer agravamento para 2019, após dois anos consecutivos de aumentos fiscais, bem como a nova autorização legislativa em sede de IRS, com a finalidade de rever o regime de mais-valias em sede de IRS nos casos de afetação de quaisquer bens do património particular à atividade empresarial e profissional exercida pelo seu proprietário. Sendo esta última, “uma matéria há muito reivindicada por todo o Alojamento Local”, esclarece Mário Pereira Gonçalves, presidente da AHRESP.

Outra das medidas bem recebidas pelo setor prende-se com a substituição do PEC – Pagamento Especial por Conta pelos Índices Técnico-Económicos, “uma reivindicação da AHRESP desde há mais de uma década, e a possibilidade da dispensa de pagamento do PEC, bem como o congelamento do Imposto Especial sobre o Consumo aplicado à cerveja”, ressalva a associação.

Relacionadas

Restauração: Governo vai alargar redução de IVA para 13% a outras bebidas

Em 2016, apenas uma parte do serviço de bebidas (como bebidas de cafetaria e água natural) passou a estar sujeita à taxa intermédia. Da redução da carga fiscal ficaram excluídas as bebidas alcoólicas, os refrigerantes, sumos, néctares e águas gaseificadas. Redução de imposto para a prestação de serviços de algumas destas bebidas deverá, porém, ocorrer em 2019.

PremiumOE2019: As medidas com impacto no bolso das famílias e empresas

Governo continua a negociar com a esquerda e os sindicatos as medidas que serão inscritas no próximo Orçamento. Veja aqui as que já são conhecidas.
Recomendadas

Petróleo rendeu ao Estado angolano quase 10 mil milhões de euros em 2018

Angola exportou em todo o ano de 2018 um total de 536.836.904 barris de crude, a uma média de 70,34 dólares por cada barril, contra uma previsão, inscrita no OGE, de 620 milhões de barris e uma estimativa de 50 dólares cada.

Marcelo convida Lagarde para próxima reunião do Conselho de Estado

A convite do Presidente da República, diretora do FMI vem a Portugal discutir as repercussões mundiais do ‘Brexit’.

Parlamento Europeu aprova fundo de 700 mil milhões de euros para investimentos na UE até 2027

Previsto está agora que o InvestEU “mobilize mais de 698 mil milhões de euros de investimentos públicos e privados na UE entre 2021 e 2027, acima dos 650 mil milhões indicados na proposta da Comissão Europeia”, acrescenta o Parlamento Europeu.
Comentários