Inspeção-Geral da Educação abriu 20 processos por inflação de notas no secundário

Inspeção-Geral da Educação abriu mais dois processos disciplinares no Externato Ribadouro e tem cerca de duas dezenas de averiguações em curso.

No último ano, a Inspecção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) abriu 20 processos contra estabelecimentos de ensino, ou algum dos seus responsáveis. Só este, a IGEC abriu mais dois processos disciplinares no Externato Ribadouro.

De acordo com a notícia avançada pelo Publico, este sábado, em causa está a atribuição de notas inflacionadas aos alunos do ensino secundário, com o objectivo de facilitar a sua entrada no ensino superior. A maioria destes casos envolve colégios privados, entre os quais está o Externato Ribadouro, no Porto, onde foram instaurados três processos disciplinares por causa da inflação das classificações.

Prática deixa de ser hábito em mais de 80% das escolas

Numa intervenção, em novembro, feita junto das escolas e colégios que inflacionam as notas internas dos seus alunos tem tido efeitos positivos, a Inspecção-Geral de Educação e Ciência (IGEC) concluiu que mais de 80% dos estabelecimentos de ensino inspeccionados no último ano reduziram os desalinhamentos, confirmando os resultados conseguidos no ano anterior, quando foi feita pela primeira vez uma operação de combate a esta prática.

Tal como no ano anterior, em 2018 foram alvo da IGEC 12 escolas – todas do Norte do país, sete das quais privadas.

O relatório “Avaliação das Aprendizagens dos Alunos do Ensino Secundário” mostra que, após a intervenção dos últimos dois anos, dez desses estabelecimentos de ensino (83%) reduziram a inflação das notas internas dos seus alunos. As excepções foram o Colégio da Associação Cultural e Recreativa de Fornelos, em Fafe, e a Escola INED – Nevogilde, no Porto.

Ler mais
Recomendadas

Portugal tem o 22.º melhor MBA da Europa

No ranking do Financial Times de 2020, o programa da Católica-Lisbon e Nova SBE averba a melhor experiência internacional no mundo.

Aluno do ISEG vence Prémio António Simões Lopes

Atribuído pela Ordem dos Economistas, o prémio distingue as teses de doutoramento na área das Ciências Económicas e Empresariais, aprovadas em provas públicas em universidades portuguesas.

“Mobilizar uma equipa com várias competências é o maior desafio das startups”, diz professor da Nova

O Programa de Empreendedorismo da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova começa esta terça-feira. Lisboa recebe Frank Rimalovski, diretor do Instituto Empreendedor da New York University, para dar ‘luzes’ aos alunos sobre como materializar uma ideia.
Comentários