Luxemburgo assina três protocolos de 9,5 milhões de euros com Cabo Verde

O ministro dos Negócios Estrangeiros cabo-verdiano consideroa o Grão-Ducado um “parceiro de confiança, seguro, que tem acompanhado o desenvolvimento de Cabo Verde desde a independência nacional à esta parte”, com a particularidade da comunidade no Luxemburgo, com cerca de 15 mil habitantes, estar “muito bem integrada”.

O governo de Luxemburgo aumentou o seu programa indicativo de cooperação com Cabo Verde, superando os 45 milhões de euros (2011-2016) para 150 milhões, tendo assinado esta quinta-feira, na Praia, três protocolos no valor de 9,5 milhões de euros.

Esta revelação foi feita conjuntamente pelo ministro dos Negócios Estrangeiros cabo-verdiano, Luís Filipe Tavares, e ministra da cooperação de Luxemburgo, Paulette Lenert, no final da reunião da XIX Comissão de Parceria entre os dois países, realizada no Palácio das Comunidades, onde foram assinados protocolos nas áreas de água e saneamento, energias renováveis e financiamento para o Censo’2020.

Luís Filipe Tavares acredita que, com este pacote, Cabo Verde vai resolver definitivamente o problema de água nas ilhas da Brava, considerada prioridade, e do Maio, com a construção de unidades de dessalinização da água do mar “moderníssimas”, ao mesmo tempo que permite fechar o orçamento para o Censo’2020, com o financiamento de mais 3,2 milhões de euros.

A estes montantes junta-se ainda um adicional de um milhão de euros, para as áreas de energias renováveis, pelo que as partes prometem continuar a trabalhar para definir os próximos passos para a consolidação desta parceria.

O governante considerou o governo do Grão-Ducado um “parceiro de confiança, seguro, que tem acompanhado o desenvolvimento de Cabo Verde desde a independência nacional à esta parte”, com a particularidade da comunidade cabo-verdiana no Luxemburgo, cerca de 15 mil habitantes, estar “muito bem integrada”.

O chefe da diplomacia cabo-verdiana considerou uma “grande satisfação ter a governante luxemburguesa nesta Comissão Mista”, e manifestou o seu regozijo por ter visitado, em quatro dias, as ilhas de Santo Antão, São Vicente, Santiago e Sal, marcado por “excelentes relações de amizade”. Estas palavras foram corroboradas pela ministra da Cooperação e da Ação Humanitária do Grão-Ducado, Paulette Lenert, que apresentou Cabo Verde como um país “parceiro fundamental” para as acções de cooperação e desenvolvimento.

Paulette Lenert disse que Luxemburgo está ciente do desenvolvimento de Cabo Verde que o Grão-Ducado enaltece a realidade cultural deste “país amigo”, alegando que as partes trabalham na base de confiança e que o seu país se sente privilegiado de estar na vanguarda do desenvolvimento deste arquipélago, e ressalvou que Cabo Verde conheceu um progresso económico, “inacreditável”, actualmente, e destacou os avanços alcançados, sobretudo em matéria de energias renováveis.

Ler mais
Recomendadas

BICV e Ecobank emprestam 21 milhões de euros à Cabo Verde Airlines

Os representantes dos bancos, BICV e Ecobank, que vão assegurar este financiamento assumiram acreditar no projeto, classificando-o de “estratégico” para Cabo Verde.

Governo de Cabo Verde vai impedir interferência na aprovação do orçamento do banco central

Segundo o ministro das Finanças cabo-verdiano, os órgãos do Banco de Cabo Verde terão “todos os poderes para fazer a gestão da instituição e prestar contas às entidades externas nos termos que a lei dispõe”.

Ulisses Correia: “É preciso investir mais nas posturas municipais e na autonomia das famílias”

O primeiro-ministro de Cabo Verde disse afirma que toda a estratégia de desenvolvimento do país tem “necessariamente” de se basear em horizontes temporais de longo prazo para atingir objetivos com “consistência, perseverança e atitude empreendedora”.
Comentários