Mais de 10,5 milhões de visitantes em Macau no primeiro trimestre

O número de excursionistas (5.624.732) e o de turistas (4.735.026) aumentou 33,4 e 9,3%, respetivamente, em termos anuais, totalizando 10.359.758 visitantes em Macau nos mês primeiros três meses do ano, de acordo com a Direção dos Serviços de Estatísticas e Censos.

Macau recebeu mais de 10,5 milhões de visitantes no primeiro trimestre, um aumento de 21,2% em relação ao período homólogo do ano passado, segundo dados oficiais hoje divulgados.

O número de excursionistas (5.624.732) e o de turistas (4.735.026) aumentou 33,4 e 9,3%, respetivamente, em termos anuais, totalizando 10.359.758 visitantes em Macau nos mês primeiros três meses do ano, de acordo com a Direção dos Serviços de Estatísticas e Censos (DSEC).

Por visitante entende-se qualquer pessoa que tenha viajado para Macau por um período inferior a um ano, um termo que se divide em turista (aquele que passa pelo menos uma noite) e que excursionista (aquele que não pernoita).

Entre janeiro e março, segundo a DSEC, a maioria dos visitantes vieram do interior da China (7.448.291), tendo-se registado uma subida de 23,5% comparativamente a igual período do ano passado.

Os visitantes de Hong Kong (1.793.114), da Coreia do Sul (262.051) e de Taiwan (261.853) subiram 21,3%, 9,2% e 3,3%, respetivamente, em termos anuais.

Também os visitantes dos Estados Unidos (50.206), da Austrália (23.965), do Canadá (20.830) e do Reino Unido (13.860) aumentaram em termos anuais.

Segundo a DSEC, só no mês de março o território registou 3.388.931 visitantes.

Em 2018, Macau bateu o número recorde de turistas: 35,8 milhões, um aumento de 9,8% em relação a 2017.

 

Ler mais
Recomendadas

Procurador francês diz que estão acionados todos os meios para encontrar suspeito do atentado de Lyon

As autoridades francesas procuram o presumível autor do atentado ocorrido na sexta-feira numa rua em Lyon, que fez 13 feridos. A investigação judicial, aberta inicialmente por tentativa de homicídio, foi transferida para o Ministério Público de Paris, que centraliza os casos de terrorismo em França.

“Marginalização de África no comércio mundial não mudou muito”, diz ex-dirigente da ONU Carlos Lopes

Carlos Lopes, antigo adjunto do secretario-geral das Nações Unidas, defendeu este sábado em Lisboa que a Zona de Livre Comércio Continental (ZLEC) pode contribuir para acelerar a industrialização da região.

Agências de espionagem dos EUA cedem informações a investigação sobre interferência russa

Presidente norte-americano já disse que vai desclassificar os documentos relacionados com as origens da investigação sobre as ligações russas à campanha.
Comentários