McDonald’s processa antigo CEO por alegada conduta sexual imprópria e falso testemunho

Depois de ser afastado por manter uma relação com uma funcionária, Steve Easterbrook é agora processado pela cadeia de fast-food, que quer recuperar os valores pagos ao ex-CEO aquando da sua saída

A McDonald’s anunciou que vai processar o seu antigo CEO por alegadamente mentir durante um inquérito interno ao seu comportamento, reporta a CNBC.

Steve Easterbrook, o antigo homem forte da empresa, foi afastado em novembro por ter mantido uma relação consensual com uma funcionária da empresa. Agora, face a novas informações descobertas pela gigante de fast-food, um novo inquérito será aberto e um processo judicial já deu entrada no estado do Delaware.

As provas apontam para relacionamentos do antigo CEO com pelo menos outras três funcionárias e comportamentos inapropriados por Easterbrook, que terá mentido durante o inquérito e destruído provas incriminatórias. Os novos documentos relacionados com a conduta do executivo incluem vídeos e fotografias explícitas de funcionárias da empresa sem roupa, que Easterbrook terá enviado da sua conta de mail empresarial para a pessoal. Easterbrook terá também aprovado um pacote de ações para uma das funcionárias com quem se terá envolvido no valor de várias centenas de milhar de dólares.

A empresa diz agora que não teria assinado um acordo para a saída do CEO caso soubesse desta sua conduta, pelo que está a processá-lo para ser reembolsada das compensações pagas como parte deste acordo. A McDonald’s diz também ter tomado medidas para impedir Easterbrook de vender quaisquer ações da empresa em sua posse.

Recomendadas

Tecnoplano vai fiscalizar obra de expansão do Metro de Lisboa

Às empreitadas já adjudicadas acrescerá a fiscalização dos subsequentes contratos por adjudicar de acabamentos e equipamentos das estações túneis, poços de ventilação e viadutos, asseguram os responsáveis da empresa.

Empregos no motor de pesquisa e mais programadores. Como é o acordo entre o Governo e a Google

O memorando de entendimento assinado esta terça-feira prevê ainda a expansão do Atelier Digital, na qual os portugueses são formados sobre websites ou estratégias de negócio online, e uma ferramenta para ajudar as empresas a implementar inteligência artificial.

TAP está a estudar a venda de até oito aviões Airbus

Esta medida pode-se juntar ao adiamento da entrega de 15 aviões pela Airbus, que vai permitir à TAP adiar um investimento de mil milhões de dólares.
Comentários