Miguel Pinto Luz marca apresentação oficial da candidatura à presidência do PSD

Vice-presidente da Câmara de Cascais tem somado apoios na disputa pela liderança com Rui Rio e Luís Montenegro. Eleições diretas Irão realizar-se a 11 de janeiro de 2020.

Vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais e candidato à liderança do PSD, Miguel Pinto Luz | Foto de Cristina Bernardo

O vice-presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz, vai fazer a apresentação oficial da sua candidatura à presidência do PSD no dia 18, num evento aberto a todos os militantes e simpatizantes do partido.

O evento vai decorrer no Pátio da Galé, em Lisboa, e o candidato diz que “a facilidade de acesso e a proximidade de transportes públicos” foram critérios para a escolha do local, visando “incentivar a utilização de transportes públicos como forma de preservar o ambiente”.

Miguel Pinto Luz conta com o apoio de figuras como os presidentes da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, e da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, o novo presidente da distrital de Lisboa, Ângelo Pereira, e o presidente da distrital de Setúbal, Bruno Vitorino. Na semana passada também recebeu uma declaração de apoio do presidente da CIP – Confederação Empresarial de Portugal, António Saraiva.

As eleições diretas para a presidência do PSD estão marcadas para 11 de janeiro de 2020. Pinto Luz irá disputar os votos dos militantes com o atual presidente, Rui Rio, e com o antigo líder do grupo parlamentar social-democrata Luís Montenegro. Seguir-se-á o congresso, entre 7 e 9 de fevereiro.

 

Recomendadas
TAP Portugal

TAP: Governo diz que está a ser avaliada hipótese da companhia aérea fazer “outro tipo de rotas”

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, explica que a possibilidade ganhou força devido às alterações no mercado devido à pandemia da Covid-19 e ao aumento da frota da empresa que está “inativa”.

Diploma do Chega sobre incompatibilidade de políticos retirado do plenário pelo Governo

Presidência da Assembleia da República avisou gabinete de André Ventura que o Executivo não autorizou o arrastamento do seu projeto de lei para ser discutido em conjunto com proposta de lei sobre contratação pública. “O Governo não achou bem o projeto e passou por cima do presidente da Assembleia da República”, protestou o deputado único do Chega.

Efacec: Estado não vai assumir responsabilidade pelas dívidas de Isabel dos Santos, garante Governo

O Executivo socialista acredita que “grande parte” da dívida da empresária angolana aos bancos que financiaram a sua entrada na Efacec (Montepio, BPI e BIC) “está perdida” porque o valor da indemnização que vai resultar da avaliação que o Governo vai fazer “não será suficiente para amortizar a totalidade dessa dívida”.
Comentários