NOS apresenta estratégia para implementação do 5G a pensar em mais serviços e na IoT

A implementação da tecnologia 5G em Portugal, acredita a NOS, permitirá à operadora de telecomunicações suportar mais serviços desta, sobretudo o IoT (Internet of Things).

Edifício-sede da NOS, em Lisboa

A operadora de telecomunicações NOS apresentou esta quarta-feira a sua visão para desenvolver os serviços que apresenta no mercado tendo em vista a implementação do 5G em Portugal, uma estratégia apresentada esta quarta-feira no edifício-sede, em Lisboa, que contou com o parceiro tecnológico Nokia.

As demonstrações poderão ser realidade no final de 2019 e meados de 2020, mas o 5G da NOS apenas atingirá o pico em 2025. A empresa prometeu uma cobertura de 100% da população nacional.

“Estamos convictos que o 5G virá a ter a ter um enorme impacto em termos de experiência  de utilização e sobretudo na transformação digital da indústria e das cidades em Portugal, impulsionando o crescimento da economia nacional”, afirmou o CTO da NOS, Jorge Graça.

A sessão de demonstração surgiu na sequência da terceira reunião do comité Estratégico da Plataforma Portugal 4.0, uma iniciativa conjunta entre o Ministério da Economia e a COTEC Portugal incluída na Estratégia Nacional para a Digitalização da Economia.

Segundo a apresentação das demonstrações da NOS, a implementação da tecnologia 5G vai permitir suportar mais serviços desta operadora, sobretudo o IoT (Internet of Things), com impacto significativo da transformação digital da indústria e das cidades.

A NOS firmou parceria com a Nokia para demonstrar as funcionalidades da rede no futuro. O fabricante finlandês está agora focado em serviços e prepara-se para abraçar o desafio 5G e a Revolução Industria 4.0. “Iremos iniciar esta jornada com a atenção focada na infraestrutura de telecomunicações, preparando o caminho para o 5G, assegurando que todos os stakeholders estão envolvidos no processo: CSPs, reguladores e operadores de mercados verticais”, afirma João Picoito, Country Senior Officer da Nokia.

Ler mais
Recomendadas

Mutualista diz que fusão do Montepio com BCP colide com os interesses dos associados

“O Banco Montepio dispõe de soluções de capital ajustadas às suas necessidades e encontrará o seu próprio caminho de estabilização”, garante a instituição liderada por Virgílio Lima. “Uma fusão desta natureza corresponderia à sua descaracterização, algo que colide com os interesses da Associação e dos associados”, defendem.

Grupo Os Mosqueteiros investe 25,3 milhões para abrir mais seis lojas Intermarché em Portugal

Este investimento irá permitir a criação de 265 novos postos de trabalho de norte a sul do país, asseguram os responsáveis do grupo francês de distribuição.

Tribunal espanhol adia audições dos responsáveis do CaixaBank sobre compra do BPI

Segundo a agência Efe, problemas técnicos impediram a audição telemática do presidente da Criteria e ex-presidente do CaixaBank. O julgamento que está em curso desde 2018 decorre de uma queixa de acionistas minoritários que se sentiram lesados com algumas operações inerentes à compra do BPI em 2017.
Comentários