“Nunca pedi a maioria absoluta. Nunca farei qualquer chantagem com os portugueses”, diz António Costa

O primeiro-ministro foi questionado sobre as criticas feitas aos Bloco de Esquerda e PCP e sobre se isso poderia colocar em causa uma eventual ‘geringonça’ caso vença as eleições sem maioria absoluta.

António Costa assume que nunca pediu a maioria absoluta. O primeiro-ministro refere em entrevista à “TVI” que “isso não é uma coisa que se peça”, e que nunca fará “qualquer chantagem com os portugueses”.

Questionado sobre como foi formar a ‘geringonça’ nesta legislatura com PCP e Bloco de Esquerda, António Costa afirma que “o PS tem sido o factor de equilíbrio que permitiu que esta experiência governativa tivesse corrido bem”, salientando que “identificamos um conjunto de pontos nos quais sabíamos que conseguíamos fazer em conjunto”, frisa.

António Costa relembra que uma das formas para que as coisas tivessem funcionado foi o facto dos partidos se terem respeitado apesar das diferenças entre todos. “Ninguém exigiu ao PCP que passasse a defender a participação de Portugal na NATO, nem ao PS que abandonasse a zona euro”, afirma.

Confrontado sobre se irá pedir uma maioria absoluta aos portugueses nas eleições legislativas de 6 de outubro,  António Costa diz que “nunca pedi a maioria absoluta. Os portugueses dirão qual é a votação que o PS deve ter. Nunca farei qualquer chantagem com os portugueses”.

O primeiro-ministro assume que “seria arrogante da minha parte dizer que só governarei sob determinadas condições”, acrescentando ainda que “os portugueses não gostam de maiorias absolutas”.

Relacionadas

António Costa assume “perspetivas de trabalho de longo prazo” com Mário Centeno

Em entrevista à “TVI” o primeiro-ministro diz que só falará com o ministro das Finanças e a sua continuidade, “se os portugueses me derem confiança para formar Governo”.

“A partir de 2017 voltamos a crescer acima da média europeia”, afirma António Costa

O primeiro-ministro salienta que “todas as instituições internacionais prevêem que em 2020 e 2021″ Portugal continue a crescer acima da média europeia”.

“O salário médio tem de subir significativamente”, refere António Costa

O primeiro-ministro destaca que durante os quatros anos de legislatura ” foram criados 350 mil postos de trabalho em termos líquidos”.
Recomendadas

CNE alerta que é proibido propaganda na véspera e dia de eleições

A comissão avisa que “entende-se por ‘propaganda eleitoral’ toda a atividade que vise direta ou indiretamente promover candidaturas, seja dos candidatos, dos partidos políticos, dos titulares dos seus órgãos ou seus agentes, das coligações, dos grupos de cidadãos proponentes ou de quaisquer outras pessoas, nomeadamente a publicação de textos ou imagens que exprimam ou reproduzam o conteúdo dessa atividade”.

“Lisboa estava em sentada em tanto dinheiro de impostos que nem sabia o que lhe fazer”, realça candidato da IL a Lisboa

Na última edição do programa “Primeira Pessoa, da plataforma multimédia JE TV, Bruno Horta Soares considera que é importante estancar o aumento de trabalhadores na Câmara Municipal de Lisboa e diminuir os “10 a 12 milhões em avenças e os 13 milhões em horas extraordinárias”.

Portugal concede terceira moratória a Cabo Verde para o pagamento da dívida

O anúncio foi feito esta pelo Governo que aprovou uma nova suspensão do pagamento do serviço da dívida por parte da República de Cabo Verde, relativa aos empréstimos diretos concedidos.
Comentários