PIB de Cabo Verde aumentou 5,9% no segundo trimestre

As exportações de bens e serviços em volume registaram no segundo trimestre, uma variação homóloga de 27,7% (11,5% no trimestre anterior) e as importações de bens e serviços, em termos homólogos, aumentaram 16,7% (-0,1% no primeiro trimestre de 2018).

Peter Nicholls/Reuters

O Produto Interno Bruto (PIB) registou, no segundo trimestre de 2018, um aumento de 5,9% em volume, em termos homólogos, resultado do maior contributo das despesas do consumo final e das exportações, divulgou o INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), essa variação homóloga de 5,9%, em termos reais, representa uma taxa superior em 2,4 pontos percentuais (p.p.) à verificada no primeiro trimestre de 2018, sobretudo pelo aumento das despesas do consumo final da administração pública.

Neste sentido, o consumo final registou uma variação homóloga positiva de 4,2% no segundo trimestre de 2018 (-3,8% no trimestre anterior), enquanto o consumo privado aumentou 0,3%, o que traduziu numa aceleração face à variação de -3,2% registada no primeiro trimestre.

Conforme a mesma fonte, o consumo público apresentou uma taxa de variação homóloga de 21,2% (variação -6,0% no trimestre anterior), e o investimento registou uma variação homóloga positiva, de 5,0% em volume no segundo trimestre de 2018 (variação 2,3% no trimestre anterior).

Por outro lado, as exportações de bens e serviços em volume registaram no segundo trimestre, uma variação homóloga de 27,7% (11,5% no trimestre anterior) e as importações de bens e serviços, em termos homólogos, aumentaram 16,7% (-0,1% no primeiro trimestre de 2018).

O valor acrescentado bruto em volume a preços de base registou no segundo trimestre, um crescimento homólogo de 5,4% em termos reais, mais 2,0 p.p. que no trimestre precedente, sendo que no ramo agricultura diminuiu 13,6% no segundo trimestre deste ano, acabando por contribuir, negativamente, em -0,9 p.p. na variação total do crescimento do PIB.

No ramo da indústria transformadora, o valor acrescentado bruto registou um aumento de 9,4% (25,3% no primeiro trimestre de 2018), contribuindo com 0,5 p.p. para a variação total do crescimento do PIB, enquanto que no ramo da construção, verificou-se um aumento de 8,6% no segundo trimestre, tendo uma contribuição de 1,1 p.p. na variação total do crescimento do PIB.

O INE explicou também que, comparativamente ao mesmo trimestre de 2017, o valor acrescentado bruto do ramo de comércio apresentou, no segundo trimestre de 2018, uma variação homóloga de 8,0% em volume (6,3% no trimestre anterior), traduzindo-se num contributo para a variação homóloga do PIB em 0,6 p.p.

Nos ramos de transporte, alojamento e restauração, o valor acrescentado bruto apresentou, em termos reais, uma variação de -7,5% e 7,3%, no segundo trimestre, respectivamente (contribuindo em -0,7 p.p. e 0,1 p.p. variação total do crescimento do PIB), sendo que do ramo da administração pública, acelerou para um crescimento de 14,7% no segundo trimestre (-5,1% no primeiro trimestre de 2018), contribuindo em 2,5 p.p.  na variação total do crescimento do PIB.

Por sua vez, os impostos líquidos de subsídios sobre os produtos, em termos reais, apresentaram um crescimento homólogo de 9,1% no segundo trimestre, contribuindo em 1,3 p.p. na variação total do crescimento do PIB.

Em relação à variação acumulada, no acumulado dos dois primeiros trimestres deste ano, registou um crescimento para as actividades da pesca, da indústria transformadora, da electricidade e água, da construção, do alojamento e restauração, da administração pública e também dos impostos líquidos dos subsídios sobre os produtos.

Ler mais
Recomendadas

Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, repudia especulação sobre remodelação governamental

Nesta entrevista, Ulisses Correia e Silva fala das prioridades do governo nesta conferência de doadores de dois dias, que começa hoje em Paris, onde o setor privado “ganha papel central”, perante a opção clara pela economia de base privada, feita pelo governo.

Governo cabo-verdiano afasta problema de gestão nos aeroportos após rotura de combustíveis na Ilha do Sal

O ‘jet fuel’ afetou aviões que fizeram escala técnica na ilha no final da semana passada.

UE tem 2,5 milhões de euros para desenvolvimento sustentável e inclusão social em Cabo Verde

“Vamos ter em conta as propostas apresentadas, as temáticas tratadas, o trabalho já feito pelas organizações que vão apresentar estes projetos, a viabilidade e a sustentabilidade desses projetos, uma vez terminado o potencial financiamento”, disse Sofia Moreira de Sousa, embaixadora da União Europeia em Cabo Verde.
Comentários