SOFID e Casais assinam protocolo de financiamento

A SOFID e o grupo Casais assinam protocolo que define linhas de colaboração com vista ao financiamento de projeto de investimento em Angola.

Reuters

A SODIF e o grupo construtor Casais têm vindo a colaborar na estruturação de operações financeiras para o financiamento de projetos que o grupo empresarial tem desenvolvido nos países africanos de língua portuguesa, nomeadamente, em Angola e Moçambique.

Em comunicado oficial, as duas entidades infirmam que, “consolidando a sua presença em Angola, o grupo Casais, através da sua subsidiária Metalser, pretende agora desenvolver no Pólo Industrial de Viana uma importante unidade industrial de fabrico e montagem de serralharias de ferro e estruturas metálicas, tendo em vista a distribuição e comercialização dos referidos produtos e serviços conexos com a indústria metalúrgica”.

Com o apoio a este projeto, a SOFID vê fortalecido o seu contributo para os objetivos do desenvolvimento sustentável por via da criação de postos de trabalho e da transferência de know-how para o mercado angolano.

Por outro lado, diz ainda o documento, a produção dos elementos de serralharia de ferro e estruturas metálicas permitirá ainda reduzir o volume de importação dos mesmos materiais reforçando a Casais, como empresa de renome num setor que carece de investimento no país.

A SOFID visa contribuir para o progresso sustentável de países emergentes e em desenvolvimento, “em articulação com os objetivos e estratégia do Estado português em matéria de internacionalização, economia, cooperação e ajuda pública ao desenvolvimento”.

A SOFID tem por objeto a prática das operações permitidas aos bancos, financiando projetos de investimento de empresas com interesses portugueses em países alvo da cooperação económica e de desenvolvimento portuguesa em particular nos países membros da CPLP.

“A ação da SOFID estende-se também a geografias de proximidade, como o Norte de África, e ainda a outros países onde as empresas portuguesas possam ter interesses, como na América Latina ou na África”.

Ler mais
Recomendadas

Calçado vegan? Sim, também já há

Uma empresa da Póvoa de Lanhoso considera que nem mesmo uma indústria tradicional como o calçado precisa de recorrer a produtos que, do ponte de vista da sustentabilidade, não fazem sentido.

Crédito Agrícola elege nova administração a 25 de maio

A Caixa Central de Crédito Agrícola é responsável pela coordenação e supervisão das 80 Caixas de Crédito Agrícola Mútuo e é liderada por Licínio Pina desde 2013, há dois mandatos. O gestor trabalha no banco há mais de 30 anos.

Empresas começam projetos de inovação mas não conseguem acabar mais de metade

O excesso de projetos, a falta de liderança e a ausência de processos estão a bloquear o desenvolvimento das organizações mundiais, segundo o estudo “Having a successful innovation agenda”, elaborado pela multinacional Oracle.
Comentários