Sonae Capital vende ativo imobiliário em Lagos por mais de 20 milhões de euros

A empresa, liderada por Miguel Gil Mata explica que a venda do ativo imobiliário enquadra-se na estratégia de desinvestimento em ativos não core que se destina a “potenciar o crescimento do seu portefólio e manter uma estrutura de capital adequada à tipologia de negócios e activos detidos pelo grupo”.

A Bloco Q, uma sociedade imobiliária da Sonae Capital, vendeu um ativo imobiliário por 20,650 milhões de euros no qual opera a unidade hoteleira Aqualuz – Suite Hotel Apartamentos, localizado em Lagos, no Algarve.

Em comunicado divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Sonae Capital afirma que “através da sua participada Bloco Q, Sociedade Imobiliária, S.A., chegou a acordo com o Fundo de Investimento Imobiliário Aberto Imofomento, relativamente aos termos e condições para proceder à alienação, pelo valor de 20,650 milhões de euros, do activo imobiliário no qual opera a unidade hoteleira Aqualuz – Suite Hotel Apartamentos”.

A empresa, liderada por Miguel Gil Mata explica que a venda do ativo imobiliário enquadra-se na estratégia de desinvestimento em ativos não core que se destina a “potenciar o crescimento do seu portefólio e manter uma estrutura de capital adequada à tipologia de negócios e activos detidos pelo grupo”.

A Sonae Capital antecipa que esta venda terá um impacto de cerca de -1,9 milhões de euros.

A escritura de compra e venda deverá fazer-se “previsivelmente” ainda em 2020.

(notícia corrigida às 22h46 com a localização do ativo imobiliário que fica em Lagos e não em Tróia)

Ler mais
Relacionadas

Administradores e entidades relacionadas vendem participações na Sonae Capital

A empresa comunicou esta sexta-feira a venda de várias participações de administradores e entidades relacionadas com estes, no âmbito da oferta lançada pela Efanor, no dia 28 de outubro, por 0,77 euros por ação.

Efanor fica com 92,3% da Sonae Capital e 86,2% da Sonae Indústria após as OPA

A Efanor informou à Euronext que quer proceder à aquisição potestativa das ações que não foram adquirida nas OPA e que se as condições para isso não acontecerem, “pretende promover a perda de qualidade de sociedade aberta”. Se nenhuma das situação se verificar as serão excluídas de negociação do mercado regulamentado. Para já, a Sonae Capital sai do PSI 20 a 30 de outubro.

Revisão do preço da OPA não altera parecer positivo da Sonae Capital ao preço da oferta

Esta semana a Efanor, ‘holding’ da família Azevedo, reviu em alta de 10% a contrapartida na Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Sonae Capital. A administração considera o preço adequado e que os acionistas devem vender na OPA.
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários