Sonae, Mota Engil e CTT impulsionam PSI 20 para o ‘verde’

Numa Europa otimista com a perspetiva de negociações comerciais, os investidores mantiveram o índice nacional no ‘verde’, à semelhança do que aconteceu nas praças europeias.

Cristina Bernardo

A bolsa nacional fechou sem variações consideráveis, um desempenho ligeiramente aquém do observado nas praças europeias. O PSI-20 subiu 0,16% para 4.921,06 pontos, abaixo do índice europeu EuroStoxx 50 que valorizou 0,86% para 3.462,11 pontos.

A penalizar o PSI20 estiveram as ações da Altri, que mantiveram a recente trajetória descendente. Desta vez caíram 1,54% para 5,130 euros. Já a Navigator valorizou-se 0,98% para 3,082 euros.

Desde o início do mês é notória a  underperformance  da Altri face às suas concorrentes, diz o analista do BPI.

A EDPR e a Jerónimo Martins também condicionaram a performance da bolsa portuguesa com perdas de 1,55%, para 9,510 euros e g% para 15,050 euros.

Os CTT sobressaíram pela positiva ao subirem 1,59% para 2,178 euros. O administrador Francisco Simão referiu deu uma entrevista ao Negóciod onde diz que após a “privatização foi um kick off para a era digital dos CTT”, isto é, foram iniciados vários projetos para a modernização da empresa.

A Mota-Engil subiu 1,76% para 1,793 euros no dia em que a construtora venceu novos contratos, no valor de 327 milhões de euros, em segmentos diferenciados de obras públicas, serviços de mineração e construção civil, em Angola, Moçambique e Portugal, segundo anunciou hoje a empresa.

A Sonae subiu 3,43% para 0,890 euros.

O BCP hoje voltou a cair 0,21% para 0,19 euros.

Na Europa os investidores estiveram otimistas em vésperas de retoma das negociações comerciais.

Saldo positivo para os principais índices europeus. Os investidores mostram-se confiantes quanto a possíveis entendimentos entre os EUA e a China nas conversações que terão lugar amanhã, em especial depois do gigante asiático ter mostrado disponibilidade para um acordo parcial com Trump e se ter oferecido para adquirir mais bens agrícolas vindos de solo americano&, explicou o analista do Millennium BCP.

Os setores Automóvel e Tecnológico, considerados dos mais sensíveis às questões comerciais, lideraram os ganhos no Stoxx 600 (+0,40%).

O FTSE 100 subiu 0,33% para 7.166,5 pontos; o CAC 40 ganhou 0,78% para 5.499,14 pontos; e o Dax avançou 1,04% para 12.094,3 pontos.

O FTSE MIB subiu 0,60% e o IBEX subiu 0,58% para 8.991,9 pontos.

“Mais logo chegam-nos a divulgação das atas da última reunião Fed, numa altura em que é atribuído uma probabilidade acima dos 80% da instituição vir a descer os juros na reunião deste mês. Nota para a depreciação da lira face ao dólar depois da Turquia confirmar o início da ofensiva militar contra os curdos na Síria”, escreve o analista do BCP.

O petróleo valorizou. O Brent em Londres ganhou 1,22% para 58,95 dólares.

No mercado de dívida soberana a dívida alemã sobe 4,6 pontos base para 0,548%.

A dívida portuguesa a 10 anos sobe 1,8 pontos base para 0,135% e a espanhola ainda agrava mais 2,9 pontos base para 0,151%.

O euro aprecia 0,14% para 1,0972%.

Ler mais
Recomendadas

Wall Street arranca em alta em mais um dia de contas trimestrais

A época de resultados está a animar a bolsa de Nova Iorque. Em termos macroeconómicos, hoje é divulgada a evolução das vendas de casas usadas em setembro nos EUA.

PSI 20 em alta contraria Europa com Galp Energia a disparar mais de 2,5%

A Galp lidera os ganhos depois de ter anunciado que pretende aumentar anualmente os dividendos em 10% ao longo dos três próximos anos.

Wall Street em alta contagiada pelo otimismo em torno das negociações entre EUA e China

A impulsionar as ações americanas esteve, em parte, uma entrevista dada pelo principal conselheiro económico do Presidente Trump, Larry Kudlow, que referiu que a parte final da primeira fase do processo negocial com a China “está a correr bem”. Larry Kudlow adiantou ainda que a imposição de novas tarifas sobre produtos chineses, agendada para dia 15 de dezembro, poderá ser suspensa.
Comentários