Tomás Correia vence corrida à Associação Mutualista Montepio Geral com 43,2%

A lista A venceu com 43,2%; seguiu-se a lista C de António Godinho com 36,3% e em terceiro lugar ficou a lista B de Fernando Ribeiro Mendes com 20,5%.

Cristina Bernardo

António Tomás Correia que concorre para um quarto mandato, venceu as eleições desta sexta-feira para um novo triénio à frente da Associação Mutualista Montepio Geral.

A lista A venceu com 43,25%; seguiu-se a lista C de António Godinho com 36,04% e em terceiro lugar ficou a lista B de Fernando Ribeiro Mendes com 20,49%, soube o Jornal Económico.

Está neste momento a decorrer a Assembleia Geral da Associação, depois do apuramento tardio dos votos.

Tomás Correia teve 18.073 votos; António Godinho 15.059 votos e Ribeiro Mendes 8.563 votos, segundo revelou fonte ligada ao processo ao Jornal Económico.

Só houve 41.857 votos, segundo dados oficiais, o que compara com perto de 52 mil associados nas eleições de 2015.

As percentagens apuradas são sobre votos válidos já expurgados de votos brancos e nulos.

Este ano a abstenção aumentou tendo havido menos votantes. Isso refletiu-se também no número de votos do vencedor que em 2015 era da ordem dos 31 mil votos.

Dos actuais 615 mil associados, o universo de votantes do Montepio é apenas de 480 mil. Um vez que ficam de fora os associados menores de idade, os com menos de dois anos de antiguidade e os que não têm as quotas em dia.

Em comunicado, Tomás Correia fala da vitória: “quando iniciei esta caminhada, tive oportunidade de escrever no Diário de Notícias um artigo de opinião que refletia sobre a Responsabilidade de Servir e de Gerir o Montepio. Sabia bem o que estaria para vir nas semanas que se seguiram. Pessoas que recorrem a expedientes que colocam em causa o bom nome do Montepio não estão à altura de honrar a sua História e os seus Fundadores. E os Associados são sábios”, disse o líder da lista A que venceu hoje as eleições.

“Chegados a esta noite, os Associados fizeram a sua escolha, redobrando agora a responsabilidade dos que acabam de ser eleitos, que vão tomar posse e que irão gerir esta nossa grande Instituição nos próximos 3 anos.
Pela frente, espera-nos um mandato muito exigente, que apela à responsabilidade por que sempre nos pautámos, e que a candidatura institucional sempre levou muito a sério. Porque o que nós fazemos pelo Montepio diz muito de nós. Aliás, diz tudo!” lê-se no comunicado.

Hoje à tarde, Tomás Correia dizia que pretende cumprir o novo mandato “até ao fim”, quando questionado pelos jornalistas sobre a possibilidade de ser confrontado com uma avaliação à posteriori da idoneidade.

A Associação Mutualista Montepio Geral tem uma base de 600 mil associados que gera uma receita de quotas de 7,2 milhões. Gere ativos de 4 mil milhões de euros. O maior ativo que a Associação detém é o banco Caixa Económica Montepio Geral, com ativos de 20 mil milhões e um milhão de clientes. O banco está avaliado nas contas da Associação em 1.878 milhões, líquido de imparidades.

Ribeiro Mendes lamentou hoje que não tenha havido debate entre candidatos e que mais uma vez o processo eleitoral esteja confinado ao voto por correspondência, o que limita a participação dos associados.

(atualiza com os votos oficiais)

Ler mais
Relacionadas

Tomás Correia diz que abstenção prevista de 88% se deve à “campanha de maledicência”

António Tomás Correia, que concorre para um quarto mandato à frente da instituição, disse que pretende cumprir o novo mandato (caso ganhe estas eleições) “até ao fim”.

PremiumAntónio Godinho: “A nossa lista para a Mutualista é a única que não tem arguidos”

Candidato que lidera a lista C nas eleições da Associação Mutualista Montepio Geral, que terminam esta sexta-feira, fala das prioridades e defende renovação. “Tomás Correia faz já parte do passado”, diz, em entrevista ao Jornal Económico,

Eleições da Associação Mutualista Montepio: o que defendem os três candidatos

Numa altura em que se disputa o lugar de presidente da Associação Mutualista Montepio para um novo mandato, o JE questionou os candidatos sobre os temas core. Eleições são esta sexta-feira.

Roberto Carneiro apoia Ribeiro Mendes na corrida à Mutualista

Amanhã decorre o apuramento das eleições para a Associação Mutualista. Reforçam-se apoios e críticas a Tomás Correia, candidato da Lista A.
Recomendadas

Governo propôs “mecanismo célere e ágil” para lesados não qualificados do Banif

“Após um aprofundado trabalho de análise jurídica, atendendo às diferenças face ao caso dos lesados do papel comercial do BES, o Governo propôs na referida reunião que fosse adotado um mecanismo célere e ágil com vista a reduzir as perdas sofridas pelos lesados não qualificados do Banif”, é referido num comunicado do gabinete do primeiro-ministro.

Marques Mendes antevê acusações de gestão danosa da CGD nos anos 2005 a 2008

Segundo o comentador, o facto de Ministério Público ter chamado a si a auditoria às gestões anteriores da CGD significa que se prepara para acusar gestores de gestão danosa. Marques Mendes revelou ainda que a auditoria está também no BCE. Outro tema em análise foi a OPA à EDP, a propósito da visita de Xi Jinping a Portugal. Marques Mendes diz que a OPA vai morrer de forma “natural”.

China convoca embaixador norte-americano após detenção de diretora da Huawei

A China convocou hoje o embaixador dos Estados Unidos em Pequim para protestar contra a detenção da diretora financeira da operadora de telecomunicações chinesa Huawei e pediu a Washington que abandone o pedido de extradição.
Comentários