Três milhões de famílias vão ter acesso a IRS automático este ano

Em 2018, a declaração automática vai passar a incluir agregados com dependentes, bem como contribuintes que usufruam de benefícios fiscais relativos a donativos.

O IRS automático vai, este ano, abranger agregados com dependentes, numa decisão aprovada em Conselho de Ministros no mês passado e que alarga a medida a três milhões de agregados.

Segundo o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, a medida alarga “a base dos agregados e das famílias que podem beneficiar da facilidade e da comodidade, seja através do Portal das Finanças, seja através de uma aplicação no ‘smartphone’ ou no ‘tablet’ que possam submeter o IRS automático”.

Em 2017, o IRS automático abrangeu os contribuintes com rendimentos do trabalho dependente e de pensões sem filhos e, em 2018, a declaração automática vai passar a incluir agregados com dependentes, bem como contribuintes que usufruam de benefícios fiscais relativos a donativos.

“Este ano que passou, num universo potencial de 1,8 milhões de agregados que podiam beneficiar do IRS automático, utilizaram essa faculdade 800 mil pessoas e, com este alargamento, serão 3 milhões de agregados que poderão usar a faculdade de aceder ao IRS automático”, explicou o governante, em dezembro.

Segundo disse, “trata-se de uma opção do contribuinte”, ou seja, a Autoridade Tributária faz o pré-preenchimento da declaração de IRS e os contribuintes, ao entrarem com a sua senha, decidem validar ou não a declaração.

Por outro lado, António Mendonça Mendes explicou que o IRS automático “evita o pagamento de coimas por atraso”, uma vez que se a declaração não for entregue dentro do prazo, o sistema assume a mesma como validada.

Ler mais
Recomendadas

Comparador de comissões bancárias “sabe a pouco” e tem “linguagem muito técnica e detalhada”, refere Deco

A associação critica ainda o facto de a nova ferramenta do Banco de Portugal apenas apresentar os valores máximos praticados por cada banco.

Simulador de IRS: Saiba quanto vai pagar de imposto em 2019

No próximo ano mantêm-se inalterados os escalões e as taxas de IRS. Sem a atualização ao nível da inflação prevista (1,3%), os contribuintes que estejam nos limites superiores dos sete escalões de rendimento e tenham aumentos salariais no próximo ano, arriscam a subir de escalão e a pagar mais imposto. Veja aqui o seu caso com o simulador da consultora EY.

PremiumAs principais medidas do Orçamento do Estado para as famílias

Entre os descontos nos passes sociais em Lisboa e Porto, os novos prazos para pagamento de IRS e a redução do IVA das cabeleiras para doentes com cancro, eis as principais medidas que afetam as famílias e as empresas.
Comentários