Valença reforça cooperação com município cabo-verdiano de Santa Catarina

O autarca português disse que os laços entre os governos de Portugal e Cabo Verde vão estreitar-se, para que os jovens santa-catarinenses que precisam de trabalho possam encontrar no município português uma opção de vida.

As câmaras municipais de Santa Catarina, em Cabo Verde, e de Valença, em Portugal, reforçaram esta terça-feira a sua cooperação iniciada em 2017, sobretudo nos domínios do desporto e juventude e ainda analisaram novas áreas para “futuras parcerias”. A informação foi avançada pelo edil [vereador] santa-catarinense, José Alves Fernandes, em declarações à imprensa no final de um encontro que manteve com o presidente da Câmara Municipal de Valença, Jorge Mendes, que se faz acompanhar de um assessor.

No domínio do desporto, o autarca português reiterou o seu apoio na iluminação de campos de futebol, mas também no arrelvamento do campo de Ribeira da Barca, que segundo a edilidade os trabalhos de terraplanagem já se encontram em curso. A nível da juventude, analisaram a possibilidade de jovens santa-catarinenses irem fazer formações nos estabelecimentos de ensino e ainda trabalhar nas empresas daquele município português.

Deste reforço da cooperação consta ainda formações para técnicos da Câmara Municipal de Santa Catarina, no domínio do turismo, empreendedorismo, ação social, cultura e agricultura, sobretudo no plantio da vinha. Na ocasião, discutiu-se também a possibilidade do município de Valença apoiar a congénere cabo-verdiana na reabilitação de habitação social, estando neste momento identificadas 2000 casas por reabilitar, mormente tectos, e ainda no domínio da educação.

Para o presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, esta cooperação iniciada em 2017 tem traduzido na melhoria da qualidade de vida dos santa-catarinenses e tem trazido “ganhos” para aquele município do interior de Santiago. Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal de Valença, que disse conhecer outros países e municípios africanos, considerou que o progresso que viu em Santa Catarina “não tem nada a ver” com o dos outros concelhos africanos visitados.

O autarca português, que se mostrou surpreendido com o “avanço, progresso e desenvolvimento” que se tem registado em Santa Catarina, afirmou ainda que “Santa Catarina está num patamar de desenvolvimento muito próximo daquilo que se passa na Europa”, que, ao seu ver, é fruto do trabalho da equipa camarária. No seu entender, alguns problemas existentes entre os dois municípios podem ser solucionados, referindo-se à mão-de-obra jovem do município de Santa Catarina que pode ir trabalhar em Valença que carece de mão-de-obra jovem qualificada e não qualificada, fruto do investimento industrial que a região está a registar de momento.

Tendo em conta os constrangimentos por causa dos vistos, avançou que vão estreitar os laços entre os governos de Portugal e Cabo Verde para que possam “acelerar” todo esse processo para que os jovens santa-catarinenses que precisam de trabalho possam encontrar em Valença uma opção de vida. O também vice-presidente da Associação dos Municípios de Alto Minho prometeu usar da sua influência para que o município cabo-verdiano possa firmar protocolos com os demais nove municípios desta região, visando dar oportunidades aos jovens, sobretudo na área do desporto.

Ler mais
Recomendadas

Maioria parlamentar na Guiné-Bissau avisa que protesto é a “última exigência pacífica”

Os partidos da maioria parlamentar da Guiné-Bissau avisaram que a marcha hoje realizada é a última exigência pacífica para a nomeação do primeiro-ministro e formação do Governo, depois das legislativas de 10 de março.

Ministro das Finanças de Cabo Verde apela à livre circulação de pessoas na CPLP

Vice primeiro-ministro e ministro das finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, defendeu a necessidade de reforçar a cooperação no plano cientifico, empresarial e económico na CPLP.

Primeiro-ministro de Cabo Verde anuncia que 53 mil alunos serão isentos de propinas

Ulisses Correia e Silva afirma que este investimento significa um “ganho significativo” no acesso à educação e no retorno do rendimento às famílias.
Comentários