Vaticano e China assinam acordo para a nomeação de bispos católicos romanos

O acordo conjunto foi alcançado este sábado, 22 de setembro, sobre a nomeação de bispos católicos romanos, embora alguns críticos afirmem que o mesmo é vendido ao governo comunista.

REUTERS/Tony Gentile

O Vaticano e a China chegaram a um acordo para a nomeação de bispos católicos romanos, revela a agência “Reuters”. O acordo provisório, assinado em Pequim por vice-presidentes de ambos os lados, foi anunciado aquando da visita do Papa Francisco à Lituânia, numa viagem de quatro dias aos países bálticos.

O Vaticano referiu que este acordo “não é político, mas pastoral”. O Vaticano terá agora uma palavra a dizer na nomeação dos bispos e concede ao Papa Francisco, o poder de veto sobre os candidatos. Cerca de 12 milhões de católicos da China estão divididos entre uma igreja na qual juram lealdade ao Vaticano e a Associação Patriótica Católica, supervisionada pelo Estado.

A possibilidade de tal acordo dividiu comunidades de católicos em toda a China, alguns dos quais temem uma maior repressão, caso o Vaticano ceda mais controlo a Pequim.

Recomendadas

Brexit: Uma câmara na fronteira pode bastar para reacender conflito na Irlanda, diz embaixadora

A embaixadora critica por outro lado a rejeição por Londres da primeira proposta europeia de ‘backstop’, que previa a extensão do mercado único à Irlanda do Norte.

EconPol diz que União Bancária não protege bancos europeus das repercussões de uma crise orçamental italiana

Os planos orçamentais do novo governo italiano têm o potencial de desencadear uma nova crise financeira, diz o analista da EconPol Europe, Timo Wollmershäuser.

“Vou assinar a emergência nacional”. Trump ‘força’ muro fronteiriço com o México

Líder da Casa Branca realçou que outros presidentes dos EUA recorreram a esta figura e “raramente foi um problema”. “Assinaram. Ninguém quis saber”, escreveu Trump.
Comentários