Wall Street fecha em queda depois da destituição de Rex Tillerson

Isto numa sessão marcada pelos dados da inflação, a demissão de Rex Tillerson como Secretário de Estado e o bloqueio da compra da Qualcomm pela Broadcom pela Administração Trump.

Lucas Jackson/Reuters
Ler mais

Wall Street fecha com seus três principais índices com perdas. O Dow Jones caiu 0,68% para 25.007 pontos; o S&P 500 caiu 0,64% para 2.765,31 pontos; o Nasdaq deslizou 1,05% para 7.138,78 pontos. Isto numa sessão marcada pelos dados da inflação, a demissão de Rex Tillerson como Secretário de Estado e o bloqueio da compra da Qualcomm pela Broadcom.

Mas a notícia mais importante é a demissão fulminante do secretário de Estado Rex Tillerson, que foi rapidamente substituído pelo diretor da CIA, Mike Pompeo.

O “moderado” Tillerson, ex-presidente da empresa petrolífera Exxon Mobil, dá lugar a Mike Pompeo, considerado muito mais “radical” e cujo pensamento é mais parecido com o de Donald Trump.

A Administração Trump bloqueou oficialmente os esforços da Broadcom para comprar a Qualcomm (que caiu na bolsa 4,95%). Foi emitida uma ordem de execução referindo que há “provas credíveis” de que o acordo “ameaça prejudicar a segurança nacional dos Estados Unidos”. Em causa poderão estar os receios que o acordo deixaria a China dominar o desenvolvimento do 5G.

Se o acordo tivesse passado, a Broadcom, com sede em Singapura, teria a possibilidade de comprar a Qualcomm, com sede em São Diego, EUA, por 117 mil milhões de dólares. A aquisição hostil também teria sido o maior negócio na história da indústria de tecnologia.

No Dow Jones, destaque para as quedas da General Electric, que perdeu 4,44%, para a Microsoft (-2,44%), American Express (-2,35%) e Goldman Sachs (-1,77%). Ao contrário, a UnitedHealth (+ 1,87%), a Johnson & Johnson (+ 1,3%) e a Intel (+ 0,5%) foram os títulos mais altistas.

Foi divulgado o índice de preços ao consumidor norte-americano que subiu 0,2% em fevereiro, indicando que a inflação nos Estados Unidos permanece sob controle. Um mês antes, o indicador registou uma subida de 0,5%. Excluindo alimentos e energia, categorias consideradas mais voláteis, houve também aumento de 0,2% no segundo mês de 2018. Nos 12 meses até fevereiro, os preços do consumidor norte-americano subiram 2,2%; sem alimentos e energia, a subida foi de 1,8% pela terceira vez seguida. Esses dados não alteram a previsão do mercado de que a Federal Reserve (Fed) aumentará as taxas de juros na sua reunião na próxima semana.

O petróleo WTI caiu 0,83% para 60,85 dólares e o Brent perdeu 0,25% para 64,79 dólares.

O euro subiu face ao dólar 0,03% para 1,2394 dólares.

Relacionadas
Diplomata que revelou que Tillerson não sabia da demissão também foi despedido
Steven Goldstein, o agora ex-secretário de Estado garantiu que Tillerson “não falou com o presidente” e “desconhece a razão” de sua substituição. Resultado? Também foi demitido.
“Nós entendíamo-nos bem, mas tivemos desacordos”. Trump explica demissão de Tillerson
“Com Mike Pompeo, temos uma forma de pensar similar. Tem uma energia tremenda, um tremendo intelecto, estamos sempre na mesma onda. A nossa relação é realmente boa”, afirmou Trump sobre o sucessor de Tillerson.
Recomendadas
Respostas Rápidas: Que produtos foram afetados pelas tarifas dos EUA à China?
Em que ponto está a guerra comercial? Qual a lista de produtos impactados? Como reagiu a China? O que dizem os analistas? Segundo os cálculos do instituto alemão Ifo, estas tarifas irão travar o crescimento da China em 0,1 a 0,2 pontos percentuais e colocar a Europa numa posição mais forte.
Wall Street abre no verde, após confirmação da imposição de tarifas comerciais à China
A China tem dito que vai retaliar com a aplicação de tarifas em 60 mil milhões de dólares de produtos norte-americanos. Nesta lista, os smartwatches e os aparelhos Bluetooth foram removidos da lista. A Apple vê então salvos alguns dos seus produtos entre os quais o AirPods e o Apple Watch”, diz o analista do BCP. As ações da Apple estão a subir 1,44%.
BCP e energia ajudam PSI 20 a seguir no ‘verde’
A Pharol contraria o otimismo e perde 0,98%, para 0,1818 euros, um dia depois de a ‘telecom’ brasileira Oi, da qual é acionista, realizar uma assembleia-geral extraordinária para concretizar o aumento de capital estipulado na alteração dos seus estatutos sociais.
Comentários