ACAP: Mercado automóvel cresce 6,4% em junho

Os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) mostram que, durante o mês de junho, foram matriculados 30.981 veículos automóveis, tendo o maior aumento sido registado nos veículos ligeiros de mercadorias e veículos pesados.

O mercado automóvel registou um crescimento homólogo de 6,4% em junho. Os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) mostram que, durante o mês de junho, foram matriculados 30.981 veículos automóveis, tendo o maior aumento sido registado nos veículos ligeiros de mercadorias e veículos pesados.

O mercado de ligeiros de mercadorias registou em junho um crescimento de 12,8% em comparação igual período do ano passado. Ao todo foram matriculadas 4.270 unidades. Já nos veículos pesados verificou-se uma evolução favorável de 9,6% em relação ao mês homólogo do ano anterior, tendo sido comercializados 549 veículos desta categoria.

No que toca aos automóveis ligeiros de passageiros, foram matriculados em Portugal 26.162 automóveis ligeiros de passageiros novos. O que corresponde a um aumento de 5,3% face ao mês homólogo do ano anterior. No primeiro semestre do ano, as matrículas de veículos ligeiros de passageiros totalizaram 134.506 unidades, mais 5,8% em comparação com o período homólogo de 2017.

Em termos acumulados, foram introduzidos no consumo 156.442 novos veículos desde o início do ano. O número corresponde a um crescimento homólogo de 5,4%.

Recomendadas

Inquérito/Energia: Pedro Rezende disse que Manso Neto assumiu a negociação dos CMEC pela EDP

Segundo o antigo administrador, à época, “toda a gente”, começando na Comissão Europeia, passando pelos diferentes governos e operadores, “acreditava firmemente que a liberalização do mercado ia descer os preços” da energia.

Lesados do BES: “Há centenas de queixas e o Ministério Público não dá seguimento”

Em declarações à Lusa, António Silva, um dos porta-vozes do grupo, garantiu que os lesados avançaram com queixas na justiça contra gerentes do antigo BES, mas não estão a ver resultados.

Associação de lesados do Banif espera solução até final de dezembro

Entre os lesados estão cerca de 3.500 obrigacionistas, grande parte das regiões autónomas da Madeira e dos Açores, mas também das comunidades portuguesas na África do Sul, Venezuela e Estados Unidos, num total de perdas de 263 milhões de euros.
Comentários