Ações do Benfica atingem novo máximo com proposta do Atlético Madrid por João Félix

As ações do clube da Luz atingiram os 3,17 euros, tendo registado uma subida de 4,6% desde que os encarnados informaram a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários de que estão analisar uma proposta sobre o jogador.

As ações do Benfica registaram esta quinta-feira um novo máximo ao valorizarem 3,17 euros, numa subida de 4,6%, impulsionadas pelos desenvolvimentos sobre a negociação do jogador João Félix. Desde 30 de abril de 2010, altura em que os títulos atingiram os 3,25 euros, que o clube da Luz não alcançava valores tão elevados.

O último registo das ações do clube da Luz em bolsa indica já uma ligeira queda dos máximos para 3,07 euros, para 1,5%.

“A liquidez é significativa, com um volume de 20 mil acções negociadas nas primeiras duas horas de negociação, bastante acima da média, o que poderá dar alguma sustentação à subida. Os valores envolvidos na contratação são relevantes e terão, com alguma certeza, impactos nas contas da SAD do Benfica”, refere ao Jornal Económico, Paulo Rosa, analista de mercados do Banco Carregosa.

Esta quarta-feira o Benfica confirmou que está a analisar uma proposta de 126 milhões de euros por João Félix. A proposta foi apresentada pelo Atlético de Madrid. A informação foi de resto confirmada em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“O Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD  informa (…) que o Club Atlético de Madrid, SAD apresentou uma proposta para a aquisição a título definitivo dos direitos desportivos do jogador João Félix Sequeira por um montante de cento e vinte seis milhões de euros, a qual se encontra a ser analisada”, segundo o comunicado do Benfica publicado ontem à noite pela CMVM.

“Mais se informa que o valor proposto acima da cláusula de rescisão contempla o custo financeiro indexado ao pagamento a prestações previsto nesta proposta. Caso a Benfica SAD aceite a proposta apresentada, o valor líquido a receber do Atlético de Madrid na data da transferência dos direitos desportivos ascenderá a cento e vinte milhões de euros”, de acordo com a SAD benfiquista.

João Félix marcou 22 golos esta época de águia ao peito num total de 43 jogos. Na liga portuguesa, o jovem avançado marcou um total de 15 golos em 26 jogos disputados. Na Liga Europa, João Félix marcou três golos em seis jogos. Já na Taça de Portugal e Taça da Liga marcou um golo em cada uma destas competições.

Ler mais
Relacionadas

Oficial: Benfica analisa proposta de 126 milhões por João Félix do Atlético de Madrid

Segundo a SAD benfiquista, o “valor proposto acima da cláusula de rescisão contempla o custo financeiro indexado ao pagamento a prestações previsto nesta proposta”. O jovem avançado do Benfica tem uma cláusula de 120 milhões de euros.

De João Cancelo a João Félix: Formação do Seixal já rendeu 315 milhões ao Benfica

Nos últimos quatro anos as transferências de jogadores como Bernardo Silva, Renato Sanches ou Gonçalo Guedes encheram aos cofres à SAD do clube da Luz. Veja quem e quais os valores que cada um destes dez jogadores deu a ganhar ao Benfica, numa lista divulgada pelo jornal “Record”.

Ações do Benfica disparam quase 6% com notícias sobre venda de João Félix

As notícias sobre a venda de João Félix para o futebol espanhol por 120 milhões fizeram as ações da SAD benfiquista disparar na bolsa de Lisboa.
Recomendadas

“João Félix pode ser um jogador, como os ingleses chamam, ‘outstanding’”

Em entrevista ao programa ‘Jogo Económico’, Pedro Mil-Homens, responsável máximo pela formação do SL Benfica, mostrou convicção de que João Félix vai vingar no futebol internacional.

“Atlético de Madrid? Se fosse o João Félix este não seria o projeto desportivo que escolheria”

No programa ‘Jogo Económico’, Pedro Mil-Homens, o diretor da Caixa Futebol Campus, academia do SL Benfica, garantiu que, no lugar de João Félix, nunca escolheria o Atlético de Madrid como projeto desportivo.

“Jorge Jesus não deu consentimento para a entrada dos adeptos em Alcochete”, diz advogado do treinador

Em declarações ao Jornal Económico, Luís Miguel Henrique, responde às afirmações do advogado de um dos arguidos no processo, que esta segunda-feira referiu ter sido o técnico a permitir a entrada dos adeptos na Academia de Alcochete, e não Bruno de Carvalho.
Comentários