Álvaro Siza distinguido com Medalha de Mérito da Universidade do Porto

O mais reconhecido arquiteto nacional vai receber a mais alta distinção da Universidade do Porto.

Na próxima segunda-feira, dia 18 de junho, o arquiteto Álvaro Siza vai ser distinguido com a Medalha de Mérito da Universidade do Porto. O antigo estudante e professor da Faculdade de Arquitetura do Porto (FAUP) será apenas a terceira personalidade a receber a mais alta distinção da Universidade do Porto.

Reservada a “pessoas que se tenham salientado por relevantes serviços prestados à Universidade”, diz a instituição em comunicado, a Medalha de Mérito serve de reconhecimento público a personalidades que se destacaram na vida da Universidade do Porto.

No caso de Álvaro Siza, o mais internacionalmente reconhecido arquiteto português e o primeiro distinguido com o Prémio Pritzker (considerado o Nobel da Arquitetura), a atribuição é uma forma de “enaltecer a genialidade da sua obra arquitetónica, que é hoje, para orgulho de toda a Universidade, património cultural da própria instituição”.

Álvaro Siza irá receber a Medalha de Mérito das mãos do Reitor da Universidade do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, numa cerimónia no Auditório da Faculdade de Arquitetura, momentos antes da inauguração oficial da exposição ‘Neighbourhood: Where Alvaro meets Aldo’, que representou Portugal na 15.ª Bienal de Arquitetura de Veneza.

Patente na Galeria de Exposições da FAUP até 17 de setembro, a exposição foca-se no trabalho de Álvaro Siza no campo da habitação social, percorrendo as suas intervenções em diferentes cidades europeias e a sua relação com a cultura arquitetónica italiana, e em particular com o legado conceptual de Aldo Rossi.

Organizada pela Direção Geral das Artes / Ministério da Cultura, com curadoria de Nuno Grande e Roberto Cremascoli, a exposição que representou Portugal na Bienal de Veneza em 2016 centra-se nos projetos de habitação social concebidos por Álvaro Siza para Veneza, Berlim, Haia e Porto, evidenciado a sua experiência de participação social, enquanto reflexo de uma compreensão democrática da cidade e da cidadania europeias, através da criação espaços que se tornaram verdadeiros lugares de vizinhança.

Nome incontornável da arquitetura mundial, Álvaro Siza (Matosinhos, 1933) estudou Arquitetura na Escola Superior de Belas Artes do Porto – antecessora das faculdades de Arquitetura e de Belas Artes da Universidade do Porto – entre 1949 e 1955. ‘Discípulo’ de Fernando Távora, de quem foi colaborador entre 1955 e 1958, foi também um dos mais destacados professores da FAUP, da qual é atualmente Professor Catedrático Emérito.

Com uma obra amplamente reconhecida a nível nacional e internacional, aquele que é também o mais premiado arquiteto português assinou projetos emblemáticos como os da Casa de Chá da Boa Nova, em Leça da Palmeira, da Biblioteca da Universidade de Aveiro, do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, da Igreja de Marco de Canaveses, do Pavilhão de Portugal na Expo 98, ou do próprio edifício da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, inaugurado em 1992.