Barril de Brent fecha em alta de 69,26 dólares com novo máximo desde 2014

O petróleo do Mar do Norte, de referência na Europa, terminou a sessão no International Exchange Futures com um acréscimo de 0,06 dólares face à última negociação, quando fechou a 69,20 dólares.

Sergei Karpukhin/Reuters

O barril de petróleo Brent, para entrega em março, fechou hoje no mercado de futuros de Londres a 69,26 dólares, mais 0,08% do que no fim da sessão anterior e um novo máximo desde dezembro de 2014.

Durante a sessão de hoje o barril de petróleo cotou-se acima da barreira dos 70 dólares pela primeira vez desde dezembro de 2014.

O petróleo do Mar do Norte, de referência na Europa, terminou a sessão no International Exchange Futures com um acréscimo de 0,06 dólares face à última negociação, quando fechou a 69,20 dólares.

A queda das reservas norte-americanas, a sólida procura durante os meses de inverno e as limitações de produção pactadas pela Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) pressionaram durante a sessão o preço, que contudo recuou nas últimas horas.

A instabilidade política no Irão e as reformas na Arábia Saudita impulsionaram nas últimas semanas os preços, que têm registado uma tendência para a altaq apesar do temor de um aumento da produção nos Estados Unidos.

O barril de Brent, que chegou a cotar-se abaixo dos 30 dólares há dois anos, não superava os 70 dólares por barril durante uma sessão em Londres desde 04 de dezembro de 2014, segundo dados recolhidos pela agência noticiosa Efe.

Ler mais
Recomendadas

Contenção nos mercados, com olhos no ‘Brexit’ e nos EUA, pedem analistas

Especialistas consideram que 2019 será um ano melhor que 2018, mas é preciso cautela porque um ‘hard Brexit’ pode agitar os mercados e ter consequências que podem assemelhar-se às da falência do Lehman Brothers em 2008.

“O BCE não vai ter condições para subir taxas de juro em 2019”

A inversão do ciclo nos mercados ainda não chegou, mas está a caminho, refere o analista. No cenário mais pessimista é até mais provável que o BCEreinicie o programa de compras que aumentar taxas.

Wall Street encerra em alta com China a poder aumentar importações americanas no valor de 1 trilião de dólares

A China poderá aumentar as importações de produtos norte-americanos que, no total, valem mais de 1 bilião de dólares, o que reduziria o déficit comercial que os EUA têm no comércio com os chineses.
Comentários