BCP e Galp ajudam o PSI 20 a abrir a semana em alta

A Galp Energia avança após ter apresentado resultados positivos e sinalizado que vai superar uma das metas este ano, enquanto o BCP recupera da forte queda da última sessão da semana passada.

Daniel Munoz/Reuters
Ler mais

As ações da Galp lideram os ganhos com um disparo de 1,9% e conduzem a Bolsa de Lisboa para uma abertura em alta. O índice PSI 20 sobe 0,58% para os 5.202,53 pontos, suportado ainda por outro peso-pesado, o BCP.

A petrolífera anunciou esta manhã que o líquido líquido ajustado subiu 14%, em termos homólogos, para 151 milhões de euros no segundo trimestre deste ano, suportado pela boa performance nos negócios da ‘refinação e distribuição’ e da produção de petróleo no Brasil.

A empresa liderada por Carlos Gomes da Silva referiu ainda que “com a execução e o contexto a suportarem o desempenho em 2017”, o EBITDA do grupo para este ano deverá ficar acima do guidance inicial que era de 1.500 a 1.600 milhões de euros”. Com o preço do barril de petróleo também a ajudar esta segunda-feira – sobe 0,36% para 52,71 dólares, tendo tocado um máximo de dois meses, apoiado por um aperto do mercado dos EUA e a ameaça de sanções sobre a Venezuela – as ações da Galp avançam para os 13,635 euros.

Os títulos do BCP sobem 1,12% e recuperam parcialmente do tombo de 4,67% na sexta-feira.

Em sentido contrário, a Sonae Capital e a Semapa, duas empresas que apresentaram resultados na sexta-feira, perdem 2,44% e 0,54% respetivamente.

Os resultados líquidos da Sonae Capital caíram 93,3% no segundo trimestre para 920 mil euros, devido à venda das “participações em concessionárias rodoviárias no segundo trimestre do ano passado”.

A Semapa, liderada por Pedro Queiroz Pereira, registou um lucro de 43,4 milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano, uma redução de 8,3% nos resultados líquidos alcançados em igual período do ano passado. A empresa atribuiu o resultado “principalmente à evolução desfavorável dos impostos sobre lucros”.

Relacionadas

Lucro líquido da Galp sobe 14% para 151 milhões no segundo trimestre

Os números da petrolífera nacional foram influenciados positivamente pelo aumento da produção no Brasil, pela subida da margem de refinação e pelo contexto económico positivo na Península Ibérica. O bom desempenho leva a petrolífera a prever que irá superar a meta do EBITDA este ano.

Cinco bancos portugueses somam 339 milhões de prejuízos no semestre

Nos resultados do semestre a tendência clara é a melhoria da qualidade dos ativos, refletida na redução do peso das imparidades no total do crédito. Mas o crédito em risco ainda é um tema importante a estar atento nalguns dos bancos, sobretudo no Novo Banco e no Montepio.

Semapa reduz lucros no 1º semestre

Quebra de 8,3% nos lucros face aos primeiros seis meses de 2016.

Lucros da Sonae Capital afundaram 93,3% no segundo trimestre, para 920 mil euros

Os lucros da empresa reduziram 12,8 milhões de euros face ao trimestre homólogo, “impactado sobretudo pela venda das participações concessionárias rodoviárias no segundo trimestre de 2016”.
Recomendadas

Farfetch vai ao teste da bolsa com sombra do prejuízo

Tecnológica luso-britânica entra esta sexta-feira na New York Stock Exchange com uma avaliação entre 4,9 e 5,5 mil milhões de dólares.

IPO: Farfetch encaixa 750 milhões com preço das ações acima do esperado

Ações começam a ser negociadas esta sexta-feira na bolsa de Nova Iorque. Na oferta inicial, foram vendidos mais de 44 milhões de títulos a 20 dólares cada, enquanto o preço estimado pela empresa estava entre os 17 e os 19 dólares.

Gestão passiva prejudica o investimento em valor

Ao contrário dos momentos em que a ações sobem, estamos perante um contexto em que se pode estar fortemente investido na bolsa de Nova Iorque, de forma diversificada, e perder dinheiro.
Comentários