Bolsa de Lisboa termina Dia de Portugal com ganhos

A subida de quase 2% da ações do BCP destaca-se no fecho da sessão desta segunda-feira, feriado que celebra o Dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas.

Cristina Bernardo

O feriado que comemora o Dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas foi animador também para os mercados financeiros. Depois de arrancar com ganhos, a Bolsa de Lisboa manteve-se a negociar em terreno positivo ao longo desta tarde, acompanhado quer as suas congéneres da Europa quer os três principais índices de Wall Street.

O PSI 20 encerrou a primeira sessão da semana no ‘verde’, atingindo máximos de um mês, perante uma valorização de 0,60%, para 5.173,37 pontos. A subida deveu-se essencialmente ao ganho de 1,81%, para 0,26 euros, do BCP. Os títulos da instituição bancária liderada por Miguel Maya sobem quase 2% no período que antecede o pagamento do dividendo referente aos resultados do ano passado.

As retalhistas também se pautaram por acréscimos importantes para alavancar o principal índice bolsista português. A Sonae SGPS subiu 0,72%, para 0,90 euros, e a Jerónimo Martins avançou 0,31%, para 14,60 euros.

No setor energético, denotou-se um sentimento misto. A Galp Energia e a REN cresceram 0,40%, para 13,70 euros, e 0,81%, para 2,49 euros, respetivamente. Por outro lado, as empresas do grupo EDP fecharam em contraciclo, com a EDP a perder 0,81%, para 3,45 euros, e a EDP Renováveis a cair 0,22%, para 9,10 euros.

A influenciar positivamente a praça lisboeta estiveram ainda os títulos da Mota-Engil (+3,39%), da Nos (+0,52%), da Navigator (+0,38%), da Corticeira Amorim (+2,11%) ou da Pharol (+2,32%). Já a Ibersol deslizou 1,01%.

As restantes bolsas europeias também terminaram o dia no ‘verde’. O índice britânico FTSE 100 avançou 0,59%, o francês CAC 40 valorizou 0,34%, o holandês AEX subiu 0,57%, o italiano FTSE MIB cresceu 0,61% e o espanhol IBEX 35 aumentou 0,63%. O Euro Stoxx 50 ficou marcado por uma valorização de 1,20%. Na Alemanha, Suíça, Suécia, Noruega, Dinamarca e Islândia as bolsas estiveram fechadas devido a feriados nacionais.

Quanto à cotação do barril de Brent, está a cair 0,88%, para 62,63 dólares, enquanto a cotação do crude WTI desliza o,24%, para 53,86 dólares por barril.

No mercado cambial, nota para a depreciação de 0,19% do euro face ao dólar (1,1310) e para a desvalorização de 0,40% da libra perante a divisa dos Estados Unidos (1,2683). A libra esterlina está a recuar devido aos dados sobre a economia britânica divulgados esta manhã. Segundo o Departamento Nacional de Estatística britânico, o PIB do Reino Unido contraiu de 0,4% em abril, mais do que os analistas esperavam. Em causa esteve a queda na produção industrial.

Notícia atualizada às 17h15

Ler mais

Recomendadas

Bolsa de Lisboa em queda com deslize da Galp. Europa encerra em baixa

Os resultados do UBS e o vírus da China que penalizaram o sentimento dos investidores nas bolsas europeias, dizem os analistas. Por cá a Galp foi afetada pela queda do price-target da Morgan Stanley. Já o BCP conseguiu fechar em terreno positivo.

“Mercados em Ação”: Assista ao programa desta semana

Acompanhe o “Mercados em Ação” no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.

Wall Street em baixa e ressente-se do novo vírus da China

A Comissão Nacional de Saúde da China confirmou que coronavírus é transmissível entre humanos, tendo o vírus chegado aos maiores centros urbanos chineses, incluindo a capital, Pequim, a cidade de Shanghai. A situação está a ter impacto particularmente nos títulos das companhias aéreas e nos operadores de casinos e hóteis norte-americanos. Previsões do Fundo Monetário Internacional sobre o crescimento da economia mundial e nos Estados Unidos também estão a pesar no sentimento dos investidores.
Comentários