Centeno adia Reforma da Supervisão Financeira para 2019

O Ministério das Finanças não consegue fechar a versão final da Reforma da Supervisão Financeira de modo a iniciar o processo legislativo.

Cristina Bernardo

Ainda não vai ser este ano que a Reforma da Supervisão Financeira é concluída. Segundo revelaram fontes ligadas ao processo, o Ministério das Finanças já fez saber que o processo legislativo da Reforma da Supervisão Financeira ainda não será desencadeado este ano. Fonte oficial não comenta.

Estava inicialmente previsto que o documento final da Reforma da Supervisão fosse a Conselho de Ministros em setembro, mas tal não aconteceu, e a discussão do Orçamento de Estado de 2019, que vai ser entregue na Assembleia da República nesta segunda-feira, deixa a reforma que Mário Centeno apelidou de “reforma estrutural” com “caráter de urgência” adiada para 2019. Ricardo Mourinho Félix é quem está agora a liderar o dossier dentro do Ministério.

Passou mais de um ano desde que o ministro das Finanças, Mário Centeno, ladeado pelo líder do grupo de trabalho, Carlos Tavares, apresentou o relatório sobre a Reforma da Supervisão Financeira.  Mas a versão final dessa reforma, tarda em ver a luz do dia. A este atraso não são alheias as zonas de divergência que ainda persistem entre os reguladores do setor financeiro (Banco de Portugal, CMVM e ASF – Autoridade de Supervisão de Seguros e de Fundos de Pensões) e o Ministério das Finanças.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Fidelidade regista maior número de participação de sempre após tempestade Leslie

A seguradora criou uma unidade operacional móvel com o objetivo de “quantificar e avaliar os prejuízos sofridos com a maior rapidez e proximidade possível junto da população afetada, agilizando melhor os processos de indemnização”.

Multicare: valor de prémios anual atinge 270 milhões de euros em 2017

A marca também reforçou a liderança do mercado de seguros de saúde em Portugal, alcançando uma quota de mercado de 37%, em setembro último.

Bancos passam a comunicar contas PPR ao fisco

Até agora, estas contas estavam excluídas de reporte ao fisco, sendo uma exceção constante do regime de troca automática de informações financeiras com a Autoridade Tributária e Aduaneira.
Comentários