Cinco jovens desenvolvem ToGather, a aplicação para pôr turistas a visitar locais frequentados por residentes

Quantas vezes já pensou que gosta de viajar mas não gosta estar confinado aos locais turísticos por excelência? Gostava de frequentar aqueles spots que só os locais conhecem? Um grupo de cinco jovens universitários que participam no EIA (European Innovation Academy) estão a desenvolver uma aplicação para pôr em contacto os turistas com os residentes.

Quantas vezes já pensou que gosta de viajar mas não gosta estar confinado aos locais turísticos por excelência? Gostava de frequentar aqueles spots que só os locais conhecem.

Um grupo de cinco jovens universitários que participam no EIA (European Innovation Academy) Cascais 2018 estão a desenvolver uma aplicação para pôr em contacto os turistas com os residentes, para estes lhes darem as informações certas e até combinarem acompanhar os turistas aos locais que frequentam no dia-a-dia.

ToGather é uma aplicação que aproxima os turistas dos residentes e que permite aos turistas experimentarem como é viver no país que visitam.

Os residentes ligados à app poderão levar os turistas a conhecer os pontos de referência para os autóctones, fazer programas em conjunto e assim permitir que os turistas frequentem sítios que os locais frequentariam, evitando que acabem por ser canalizados para os locais turísticos.

Com esta app os turistas são convidados a partilharem experiências normalmente vividas pelos residentes; sendo dada duas opções ao residente: acompanhar o turista ou meramente dar-lhe indicações.

O grupo de 5 jovens, participantes no programa European Innovation Academy prometem revolucionar a forma como o turismo é abordado com esta aplicação.

Diogo Forte (Porto), Diogo Neves (Ponta Delgada), Teresa Gouveia (Lisboa) Aylin Gunal (Michigan, EUA) e Reeya Desai (Ohio, EUA) conheceram-se na EIA (European Innovation Acadamy) Cascais 2018, uma academia internacional em que a inovação é confiada à criatividade de universitários de todas as partes do mundo.

Os jovens empreendedores acreditam que o turismo atual, ainda que cultural e historicamente enriquecedor, pode ser melhorado. “Recentemente estive em Paris durante uma semana. Fui com a minha família a todos os locais turisticamente relevantes, mas estava desconformada pois ao fim de uma semana em França não tinha uma noção sólida de como é o lifestyle dos franceses.” diz Aylin Gunal. “Quando voltei da Suécia, no início do verão, sabia que o Naufrágio do Vasa tinha sido em 1628 e que 1/3 da população sueca vive numa das três maiores cidades; mas desconhecia as suas opiniões, o que comem ao pequeno-almoço ou os seus planos para uma típica sexta à noite.” acrescenta Teresa Gouveia.

Uma vez cientes que não eram os únicos a compartilhar esta sensação, descobriram que, na verdade, existe uma grande procura para este tipo de serviços, contudo sem oferta existente, Chegaram a esta conclusão após contactarem com outros jovens, hostel’s e estudos de mercado.

Juntos estão a desenvolver a ToGather, uma aplicação que liga turistas aos residentes; permitindo que os primeiros possam é viver experiência como se de locais se tratassem.

“Por vezes os visitantes gostariam apenas de saber a quais restaurantes os locais gostam de ir; contudo esse não é o critério noutras aplicações.” Comenta Diogo Neves, estudante de Turismo.

“Os turistas jovens tendem a viajar com um orçamento apertado. Uma vez que a nossa aplicação é preferencialmente dirigida aos jovens adotámos um sistema de receitas que permita aos turistas serem guiados pelos residentes sem que haja algum pagamento envolvido. Os residentes terão incentivos não-monetários para acompanhar/ajudar turistas.” diz Reeya Desai.

“Estas últimas três semanas no EIA têm sido um verdadeiramente desafiantes. Estamos num ambiente com pessoas de todas as partes do mundo, com todo o tipo de backrounds, mentores experientes e dedicados, palestras complementares diariamente. O tempo é limitado, ainda assim conseguimos fazer um estudo de mercado e um protótipo que nos permita criar uma startup. Saímos do programa com uma enorme bagagem, não com uma ideia na cabeça, mas algo palpável. Mas acima de tudo o mais importante é a aprender.” comenta Diogo Forte, CEO da ToGather.

Os jovens empreendedores vão continuar a trabalhar no desenvolvimento deste projeto, ainda que a App ainda não esteja totalmente finalizada. “Se tudo correr bem, talvez da próxima vez que for à Finlândia, para além de ir ao centro histórico, talvez vá com a nossa App fazer sauna, tal como todos os finlandeses.” diz Teresa Gouveia.

Ler mais
Recomendadas

Portuguesa NextBITT escolhida como parceiro do ano da Microsoft Portugal

Distinção foi anunciada esta semana durante o Microsoft Inspire, o maior evento anual de parceiros da Microsoft que está a decorrer desde o dia 14 e se estende até ao dia 18 em Las Vegas, Nevada, e que reúne milhares de Parceiros Microsoft provenientes de 130 países.

Farfetch: apoiar as novas gerações de empreendedores

Promover a inovação e o empreendedorismo faz parte da estratégia de José Neves. A segunda edição da aceleradora da Farfetch foi desenvolvida em cooperação com as marcas de moda Stella McCartney e Burberry.

GoParity abre segunda fase para financiar produção sustentável de ostras

Depois de um primeiro financiamento de 125 mil euros, a GoParity vai lançar amanhã uma segunda ronda, com financiamento previsto de mais 150 mil euros. O projeto, orçado em cerca de 2,1 milhões de euros, permitirá à empresa portuguesa OysterWorld aumentar capacidade produtiva de ostras para cerca de 360 toneladas/ano e aumentar as exportações para Espanha, França ou Holanda.
Comentários