Consulte as despesas que abatem ao seu IRS a partir de amanhã

A consulta de despesas tem início amanhã, 1 de março, no Portal das Finanças. As despesas que vão ser consideradas nas deduções à coleta de IRS que são calculadas automaticamente pela AT incluem despesas gerais familiares; despesas de saúde; encargos com imóveis; encargos com lares e dedução pela exigência de fatura.

Cristina Bernardo
Ler mais

O Ministério das Finanças divulgou a totalidade das despesas que vão ser consideradas nas deduções à coleta de IRS do ano de 2017 que são calculadas automaticamente pela Autoridade Tributária.

A consulta de despesas tem início amanhã, 1 de março, no Portal das Finanças

As despesas que vão ser consideradas nas deduções à coleta de IRS que são calculadas  automaticamente pela AT incluem despesas gerais familiares; despesas de saúde; encargos com imóveis; encargos com lares e dedução pela exigência de fatura. Esta última categoria refere-se a aquisições de bens e prestações de serviços a empresas dos seguintes setores: manutenção e reparação de veículos automóveis; manutenção e reparação de motociclos, de suas peças e acessórios; alojamento, restauração e similares; atividades de salões de cabeleireiro e institutos de beleza; atividades veterinárias; e passes sociais.

Como aceder?

Para aceder à consulta das despesas, no Portal das Finanças os contribuintes devem selecionar “Serviços Tributários” > “Serviços”, após o que aparece o “Mapa do Sítio”. Neste mapa, devem depois selecionar, em IRS, a opção “Consultar Despesas p/ Deduções à Coleta”.

Nesta página a consulta é efetuada por titular das despesas e mediante autenticação através da respetiva senha pessoal de acesso.

O Ministério das Finanças avisa que nesta fase, tal como se verificou nos anos anteriores, não se tem ainda em consideração a composição do agregado familiar.

Quais as despesas consideradas?
O valor das despesas agora disponibilizado agrega a informação constante do sistema e-fatura com a informação proveniente de outras entidades que transmitem bens e prestam serviços que relevam para as deduções à coleta do IRS mas que não estão obrigadas à comunicação de faturas e não tenham optado por essa comunicação. É o caso, por exemplo, da informação proveniente do recibo de renda eletrónico, da declaração anual de rendas, da comunicação dos juros de empréstimos contraídos para a aquisição de habitação própria e permanente do agregado (neste caso, só relativamente a empréstimos contraídos até 31.12.2011), das taxas moderadoras, dos seguros de saúde, das propinas pagas a estabelecimentos públicos de ensino, ou de encargos com lares.

O que fazer se valor das despesas não coincidir?
Os contribuintes que verifiquem que o valor das despesas agora divulgado não corresponde àquele que efetivamente suportaram, devem proceder da seguinte forma: Se estiverem em causa despesas relacionadas com despesas gerais familiares ou com a dedução por exigência de fatura Devem apresentar reclamação no período compreendido entre 1 e 15 de março.

Já se estiverem em causa despesas de saúde e de formação e educação, bem como encargos com imóveis e com lares, devem preencher o quadro 6C do Anexo H da Declaração de IRS.

O Ministério das Finanças alerta que esta opção implica que a AT vai considerar as despesas inscritas neste quadro em alternativa aos valores que lhe foram comunicados por entidades terceiras. Assim, os contribuintes devem inscrever no mesmo quadro todas as despesas respeitantes a todos os elementos do seu agregado familiar (com exceção das do cônjuge/unido de facto, no caso de sujeitos passivos casados ou unidos de facto que optem pela tributação separada) e não apenas aquelas que pretendem alterar. No entanto, para facilitar o preenchimento deste quadro, a AT faculta o seu pré-preenchimento com base nas despesas que lhe foram comunicadas, mediante a autenticação dos titulares das despesas, pelo que, em caso de pré-preenchimento, os contribuintes apenas terão que alterar as despesas que consideram não estar corretas.

Recomendadas
finanças pessoais

Dr. Finanças: marque consulta e encontre o remédio para qualquer mal financeiro, a custo zero

A operar desde 2014 para todo o país, através da sua plataforma online, a empresa conta já com 80 colaboradores e mais de 50 mil pedidos de aconselhamento em finanças pessoais.

Conheça as dicas do Portal da Queixa para comprar online de forma segura

Esteja sempre atento ao extrato do seu banco para confirmar se os valores debitados correspondem ao valor que gastou nas suas compras online.

Isenção fiscal à McDonald’s no Luxemburgo é legal, diz Bruxelas 

Após uma investigação aprofundada iniciada em dezembro de 2015 sobre isenções de imposto concedidas em 2009 a parte dos lucros da McDonald’s, a Comissão Europeia concluiu que o regime não viola o acordo sobre a dupla tributação celebrado entre o Luxemburgo e os Estados Unidos.
Comentários