DGS atualiza normas e dá início a vacinação de quem tem entre 16 e 79 anos

Entre as doenças que darão prioridade na toma da vacina, independentemente da idade, conta-se a diabetes, obesidade grave, doença oncológica ativa, transplantação e imunossupressão, doenças neurológicas graves e doenças mentais, refere.

Graça Freitas, diretora-geral da DGS | Rodrigo Antunes/Lusa

A Direção-Geral de Saúde (DGS) anunciou hoje que atualizou as normas de vacinação contra a covid-19 devido a uma maior disponibilidade de doses e vai começar a vacinação de pessoas entre 16 e 79 anos.

Em comunicado hoje divulgado, a DGS indica que, na segunda fase do plano de vacinação, são definidas duas estratégias distintas: “A vacinação por faixas etárias decrescentes, até aos 16 anos, e de pessoas com 16 ou mais anos e que tenham doenças com risco acrescido de covid-19 grave ou morte”.

Entre as doenças que darão prioridade na toma da vacina, independentemente da idade, conta-se a diabetes, obesidade grave, doença oncológica ativa, transplantação e imunossupressão, doenças neurológicas graves e doenças mentais, refere.

Além disso, aqueles que recuperaram de infeção por covid-19 “há pelo menos seis meses” também estão incluídos na segunda fase de vacinação, “de acordo com o grupo prioritário ou a faixa etária a que pertencem”.

A DGS anunciou ainda que, quando for iniciada a administração de doses a pessoas com menos de 60 anos, “a vacinação será feita com apenas uma dose, independentemente da vacina”.

“O Plano de Vacinação é dinâmico, evolutivo e adaptável à evolução do conhecimento científico e à calendarização da chegada a Portugal das diferentes vacinas contra a covid-19”, explica a entidade, sublinhando que o objetivo é “salvar vidas, através da redução da mortalidade e dos internamentos” e “preservar a resiliência do sistema de saúde e do sistema de resposta à pandemia e do Estado”.

Ler mais
Recomendadas

Concelhos em alerta. Só Cabeceiras de Basto dá o passo atrás no desconfinamento

O cordão sanitário manter-se-á nas duas freguesias de Odemira. Ainda assim, a ministra Mariana Vieira da Silva diz que a redução da incidência do vírus “é um sinal de uma pandemia que se encontra controlada, pese embora a existência de surtos”.

Espanha regista quebra de 75% no número de turistas estrangeiros em março

Os confinamentos vividos no segundo país mais visitado do mundo antes da pandemia levaram a quebras assinaláveis na chegada de turistas estrangeiros ao país. O principal mercado emissor, o Reino Unido, quebrou 97,2% nos primeiros três meses do ano, sendo suplantado em volume de visitantes por França, Alemanha e até Portugal.

Média de ocupação dos alojamentos no Algarve foi de apenas 5,7% em abril

“Em valores acumulados, desde o início do ano, a ocupação cama regista uma descida média de 89,4%”, aponta a AHETA.
Comentários