Saiba o que deve fazer se lhe roubarem os cheques

Os cheques são uma forma de pagamento em desuso, mas há ainda muitos portugueses utilizá-la. Tendo em conta que são frequentes as situações de furto, roubo ou extravio de cheques já preenchidos, deve ter em mente algumas recomendações de forma a evitar situações de apropriação ilegítima do cheque.

Os cheques são uma forma de movimentar dinheiro que tenha à disposição em contas de depósito em instituições de crédito. Este é um mecanismo ainda utilizado por vários clientes, apesar de os cheques terem caído em desuso e estejam, pouco a pouco, a ser substituídos por instrumentos de pagamento mais eficientes e seguros, como cartões, transferências bancárias e débitos diretos.

Uma vez que são frequentes as situações de furto, roubo ou extravio de cheques já preenchidos, deve ter em mente algumas recomendações de forma a evitar situações de apropriação ilegítima do cheque.

Uma dessas recomendações é que entregue sempre pessoalmente os cheques ao beneficiário ou, se não conseguir, garanta que os cheques só serão pagos à entidade que constar como beneficiária.

Caso lhe roubem os módulos de cheque, o Banco de Portugal recomenda que se dirija ao seu banco e reporte a situação, pedido para que sejam revogados esses módulos.

Assim, garante que esses cheques não serão considerados pelos seu banco caso alguém se aproprie deles e tente efetuar um pagamento com o seu dinheiro.

Recomendadas

Evite desperdícios e reduza o consumo da água. Como? Siga estas dicas

Estas são algumas dicas para que evite os gastos e contribua para um estilo de vida mais ‘verde’.

Quais são os cuidados que o titular de cartão deve ter na sua utilização?

O titular do cartão de pagamento deverá assegurar um conjunto de boas práticas na utilização do cartão, tanto em contexto de utilização remota como presencial, a fim de promover a segurança deste meio de pagamento. As recomendações são do Banco de Portugal.

Já não acontecia desde 2010: subsídio de Natal sem cortes começa a ser pago aos pensionistas

Está reposta a normalidade”, refere o Ministério do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social.
Comentários