Facebook vai melhorar? Mark Zuckerberg define como resolução de ano novo “corrigir” rede social

A missão pessoal de Mark Zuckerberg para 2018 surge numa altura em que a rede social tem sido fortemente criticada por permitir a propagação de mensagens de incitamento ao ódio e as chamadas “notícias falsas”.

Ler mais

O ano passado o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, estabeleceu como resolução de novo ano visitar os 50 estados que constituem os Estados Unidos, depois de, em anos anteriores, se ter comprometido em usar gravata todos os dias, aprender mandarim ou conhecer uma pessoa todos os dias fora das redes sociais. Mas o objetivo que estabeleceu para este ano, apanhou de surpresa até os menos perplexos: Mark Zuckerberg quer “consertar” o Facebook.

“Todos os anos faço um desafio pessoal para aprender algo novo”, escreveu Mark Zuckerberg, na sua conta oficial no Facebook. “Visitei todos os Estados Unidos, fiz 365 km, construí uma ia para a minha casa, li 25 livros e aprendi mandarim”. Mas este ano os objetivos do jovem multimilionário vão mais além do que os de anos anteriores.

“[Atualmente] o mundo vive ansioso e dividido e o Facebook tem muito trabalho pela frente. Quer seja a proteger a nossa comunidade do abuso e do ódio, a defendermo-nos da ingerência de algumas nações ou a garantir que o tempo gasto no Facebook é bem gasto”, considerou o fundador daquela que é uma das redes sociais com maior número de utilizadores do mundo.

Mark Zuckerberg estabeleceu, por isso, como meta para este ano “o conserto destas importantes questões”. O CEO do Facebook quer reunir-se com especialistas em diferentes áreas de formação para perceber o que pode ser feito para melhor a experiência que os utilizadores no Facebook. Esta resolução surge numa altura em que a rede social tem sido fortemente criticada por permitir a propagação de mensagens de incitamento ao ódio e as chamadas “notícias falsas”.

“Este será um ano sério de auto-aperfeiçoamento e estou à espera de aprender a resolver os problemas [que o Facebook enfrenta]”, sustenta. “Se tivermos sucesso este ano, vamos acabar 2018 numa trajetória muito melhor”, acrescenta.

Relacionadas

Vídeos no Facebook vão mudar, e não é para melhor

Objetivo é arranjar uma forma de rentabilizar o conteúdo produzido pelos seus criadores que decidam usar o Facebook para a sua distribuição.

Neutralidade da Internet

O fim da neutralidade da Internet, além de promover cidadãos e empresas com diferentes privilégios no espaço digital, pode vir a significar um problema de distorção da concorrência no mercado, dado que prejudica essencialmente as empresas de menor dimensão e com menor capacidade orçamental.
Recomendadas

Preços da eletricidade e gás em Espanha e Portugal são dos mais caros da União Europeia

No segundo semestre de 2017, a Espanha foi o sexto país da União Europeia com eletricidade mais cara (Portugal foi o quinto), segundo dados compilados pelo Eurostat. No topo desta tabela destacam-se a Alemanha, a Dinamarca e a Bélgica.

Turismo do Algarve opõe-se a taxa turística aprovada por municípios

O presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), João Fernandes, contestou hoje a aplicação de uma taxa turística na região, cuja introdução foi decidida pela Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) e anunciada ontem.

Quais são os bancos que já disponibilizam transferências imediatas?

O novo subsistema do Sistema de Compensação Interbancária assegura o processamento contínuo de transferências em menos de 10 segundos. A adesão dos bancos é, no entanto, facultativa. Confirme aqui quais os bancos que já têm e quais os custos.
Comentários