Galamba decide e Ministério do Ambiente confirma: João Bernardo é o novo diretor-geral de Energia

João Galamba, recém-nomeado secretário de Estado da Energia, terá estado na origem do afastamento do diretor geral de energia, Mário Guedes.

Cristina Bernardo

O Ministério do Ambiente emitiu há minutos uma nota confirmando a substituição de Mário Guedes, anterior diretor geral de Energia, sem nunca referir o seu nome.

“A Direção-Geral de Energia e Geologia foi objeto de uma reestruturação, empreendida pelo Decreto-Lei n.º 69/2018, de 27 de agosto, a qual implicou a cessação das comissões de serviço dos seus dirigentes”, explica a referida nota.

O Ministério do Ambiente acrescenta que “foram designados, em regime de substituição, o diretor-geral e uma subdiretora-geral, respetivamente, João Pedro Costa Correia Bernardo e Maria José Silva Reis Espírito Santo, ambos pertencentes ao mapa de pessoal da Direcção-Geral de Energia e Geologia”.

A nota do Ministério do Ambiente adianta ainda que “foi mantida a comissão de serviço da subdiretora-geral Maria Cristina Vieira Lourenço”.

Diversos ‘media’ estão a especular que esta substituição do diretor-geral de Energia foi motivada pela recente nomeação de João Galamba para o cargo de secretário de Estado da Energia.

 

Ler mais
Relacionadas

João Galamba substitui diretor-geral de Energia

O novo secretário de Estado da Energia terá afastado o diretor-geral de Energia que tinha sido nomeado pelo seu antecessor, noticia o Público.
Recomendadas

Galp prevê investir 45 milhões de euros na refinaria de Sines até 2023

Entre 2013 e 2017 o investimento na infraestrutura atingiu os 42,5 milhões de euros, também nesta área da ecoeficiência.

Saiba como poupar até 600 euros por ano em combustível

Com a liberalização dos preços de venda dos combustíveis, em 2004, os postos de abastecimento têm total liberdade para fixar os preços e, na mesma localidade, as diferenças entre postos podem chegar aos 25 cêntimos por litro.

Empresas de distribuição de gás natural querem investir 306,5 milhões até 2023

Segundo a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), o investimento previsto representa um acréscimo de 11,8% em comparação com o montante global das propostas dos planos anteriores e um acréscimo de 12,9% face ao montante global reportado à ERSE como executado e entrado em exploração no horizonte 2013 a 2017.
Comentários