Governo quer refugiados a trabalhar na agricultura e turismo

A medida de deslocar refugiados para o interior do país conta já com o envolvimento de cerca de cem municípios e visa “a melhor integração possível” ao nível socioprofissional.

O Governo de António Costa quer mobilizar os refugiados acolhidos no país para trabalharem na agricultura e no turismo, dois setores de atividade onde há mais mão de obra. A medida de deslocar refugiados para o interior do país conta já com o envolvimento de cerca de cem municípios e visa “a melhor integração possível” ao nível socioprofissional, avança a edição desta terça-feira, 9 de outubro, do “Jornal de Notícias”.

“Conhecidas que são as necessidades em determinados setores de atividade, de que são exemplo, o turismo, a agricultura, a pecuária, a exploração florestal, a metalurgica e metalomecânica, o calçado, as tecnologias de informação e conhecimento, entre outros, pretende-se levar a cabo iniciativas que fomentem a integração no mercado de trabalho: formação, estágios, emprego e empreendedorismo”, explica fonte do Ministério da Presidência.

Dos 1692 refugiados acolhidos por Portugal, 923 permanecem no território. Os distritos com maior número de acolhimento são Lisboa, Braga, Porto e Aveiro. Até ao final de 2019, vão ser reinstaladas em Portugal 1.010 refugiados em território nacional.

Recomendadas

Presidente do Turismo do Norte detido por viciação de contratos públicos

Melchior Moreira é um dos cinco detidos no âmbito de uma investigação relativa à presumível viciação de procedimentos de contratação pública.

Reino Unido e Interpol criam plataforma para combater predadores sexuais

“A nossa mensagem para os predadores sexuais que usam este setor para cometer os seus crimes é: “acabou”, disse a ministra britânica do Desenvolvimento Internacional, Penny Mordaunt.

Recolha de ares condicionados para reciclagem longe da meta para Portugal

“Esta situação é muito grave em termos ambientais”, afirma a associação ambientalista Zero.
Comentários