Governo Regional tem intenção de adaptar lei nacional à Madeira para proteger táxis

“O quadro que se define é este: há uma lei nacional, mas a Região Autónoma da Madeira tudo fará para acompanhar este processo, para mitigar os seus efeitos e estará sempre ao lado dos industriais de táxi”, vincou.

O Secretário Regional de Economia, Rui Barreto, afirmou que desde a primeira hora tem acompanhado a entrada da Uber na Madeira, vincando que a ideia do Governo Regional é a adaptação da lei nacional, invocando o interesse específico da Região.

“Nós estamos a acompanhar esse processo e o Governo vai ajudar os industriais de táxi, no sentido de adotar também uma plataforma para que possam usar e ter as mesmas armas que estas transportadoras de veículos descaraterizados estão já a usar”, sublinhou.

Durante o debate mensal entre os deputados da Assembleia Legislativa da Madeira e o Governo Regional, o deputado do CDS-PP António Lopes da Fonseca questionou o Governo sobre medidas compensatórias para os taxistas, no sentido de minimizar os efeitos da entrada da Uber na Região.

Além disso, o Secretário realçou que o Governo Regional vai também criar medidas de compensação, nomeadamente as que estão previstas na lei nacional, adaptando-as quando necessário, como no caso da compensação pela comissão que é utilizada no uso das plataformas para que esta seja dirigida aos taxistas e para que estes possam renovar a frota, implementar plataformas, fazer investimento na modernização e também nos taxímetros.

“O quadro que se define é este: há uma lei nacional, mas a Região Autónoma da Madeira tudo fará para acompanhar este processo, para mitigar os seus efeitos e estará sempre ao lado dos industriais de táxi”, vincou.

Recomendadas

Madeira: PSD destaca políticas para a juventude e desporto no Orçamento Regional. CDS ataca Cafôfo

Em causa estavam as declarações de Cafôfo a desmentir o que tinha sido dito na passada segunda-feira por António Lopes da Fonseca, de que Cafôfo tinha ligado para o centrista na noite eleitoral de 22 de setembro, bem como a outros elementos do  partido, a porpor um governo com o CDS, constituído por 15 secretarias, em que quatro seriam para o CDS.

“Falta plano estratégico para a Educação na Região”, acusa PS-Madeira

“Estava à espera que houvesse a ideia de repensar a estruturação do primeiro ciclo, já está no momento de repensarmos toda a estratégia da escola a tempo inteiro”, assinalou o deputado socialista, acrescentando que o deporto escolar teve um modelo sempre igual e que nada se está a mudar, ao mesmo tempo que acusa o Governo Regional de não ter ainda uma estratégia regional para o modelo profissionalizante.

Madeira: JPP critica forma como estão a ser concedidos tablets aos alunos

Paulo Alves afirmou que os alunos conseguem aceder a jogos e a outros sites, perturbando  o normal funcionamento das aulas.
Comentários