Marcelo congratula Sissoco Embaló pela vitória nas eleições da Guiné-Bissau

O general Umaro Sissoco Embaló venceu o escrutínio com 53,55% dos votos, enquanto o outro candidato Domingos Simões Pereira, apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), conseguiu 46,45%.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou esta quinta-feira o vencedor das eleições presidenciais na Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, mostrando a intenção de aumentar a cooperação com aquele país africano lusófono.

“O Presidente da República reiterou a afirmação da firme intenção de Portugal colaborar com o novo Presidente eleito da Guiné-Bissau, incrementando a colaboração no quadro bilateral, e multilateral, com aquele país africano de língua oficial portuguesa”, lê-se numa nota colocada no site da Presidência portuguesa.

Marcelo “falou hoje ao telefone com Umaro Sissoco Embaló, a quem felicitou pelos resultados nas eleições presidenciais na Guiné-Bissau, ontem [quarta-feira] anunciados pela Comissão Nacional de Eleições deste país irmão”, lê-se ainda na nota.

Mais de 760 mil guineenses foram chamados às urnas no domingo para escolherem o próximo Presidente da Guiné-Bissau entre Umaro Sissoco Embaló e Domingos Simões Pereira.

Segundo os resultados provisórios apresentados pela Comissão Nacional de Eleições, o general Umaro Sissoco Embaló venceu o escrutínio com 53,55% dos votos, enquanto o outro candidato Domingos Simões Pereira, apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), conseguiu 46,45%.

Na quarta-feira, o candidato derrotado admitiu impugnar as eleições: “Se tenho a convicção que o povo guineense nos dá a vitória nestas eleições presidenciais significa que os resultados provisórios agora publicados pela Comissão Nacional de Eleições estão profundamente impregnados de irregularidades, de nulidades, de manipulações, que consubstancia e une àquilo que consideramos um roubo e não podemos aceitar”, disse Domingos Simões Pereira, perante dezenas de apoiantes, na sede do partido.

“Nós vamos propor a impugnação destes resultados”, afirmou em crioulo, acrescentando: “Depois de tudo o que vi, ouvi e sei não tenho dúvidas que o povo guineense nestas eleições presidenciais deu-nos a vitória, sim; eu não tenho dúvidas de que conquistámos a vitória nestas eleições presidenciais e a minha primeira palavra é dirigida aos milhares de militantes e simpatizantes do nosso partido”.

No discurso de vitória, o candidato mais votado, Sissoco Embaló afirmou: “Penso que já acabou a euforia da campanha, agora sou o Presidente da República de todos os guineenses e é o momento de estender a mão a todos os guineenses para batizarmos uma nova Guiné”.

“Eu, como disse, reformulo outra vez ser um Presidente da concórdia nacional, um homem de rigor, de disciplina, de combate à corrupção e à droga. Isso, eu mantenho. A Guiné não será aquele Estado que permite a cada um falar da Guiné como quer. Agora há um homem de Estado”, salientou.

Umaro Sissoco Embaló afirmou também que os guineenses vão passar a sentar-se à mesa para resolver os seus problemas e que “não haverá imiscuições”, porque a Guiné-Bissau é uma “República soberana e independente”.

Ler mais
Recomendadas

Presidente de Cabo Verde diz-se “desconfortado” com aeroporto internacional sem aviões 

“Não havia aviões de maior porte, movimentação de passageiros, estrangeiros, como costumava ver quando chegava aqui ao Sal. Isso logo dá-me uma sensação de algum desconforto, de alguma tristeza”, admitiu Jorge Carlos Fonseca.

Número de mortes por Covid-19 em África sobe para 33.626

África registou mais 223 mortes 10.651 casos de infeção.

Cabo Verde: Transportes de passageiros e mercadorias admitem parar em outubro na ilha de Santiago

Os condutores reivindicam a suspensão de cobrança de senhas”, melhorias sanitárias nos parques de recolha de passageiros, entre outros, segundo o sindicato do setor.
Comentários