Pedrógão Grande: PJ encontra indícios de negligência de quatro entidades

Os meios de socorro, a Proteção Civil, a Guarda Nacional Republicana e a Ascendi são os visados no inquérito da Polícia Judiciária.

A Polícia Judiciária encontrou indícios de negligência de quatro entidades nas vítimas mortais dos incêndios de Pedrógão Grande, noticia o Correio da Manhã, na edição desta sexta-feira.

Ao que as autoridades policiais apuraram, através de uma investigação, a negligência é dos meios de socorro, da Proteção Civil, da atuação dos elementos da Guarda Nacional Republicana que ordenaram que os automobilistas fossem para a ‘estrada da morte’ (EN236) e da Ascendi, responsável pela limpeza das bermas.

O inquérito em questão está a ser acompanhado pelo Ministério Público de Coimbra e levou a que fossem ouvidas quase 100 testemunhas, que confirmaram à PJ um conjunto de falhas que causaram a morte das 64 pessoas, de acordo com o que escreve o CM. Prevê-se que o processo termine ainda em 2017.

Segundo o matutino, tanto a PJ de Coimbra como o Ministério Público da mesma cidade deverão avançar para acusações de homicídio por negligência. Além disso, foi criada uma equipa especial para investigar o processo.

O Guardian foi a Pedrógão Grande e fez um vídeo arrepiante

Ler mais
Recomendadas

Rankings 2018. Este ano há mais escolas a inflacionar as notas dos alunos. Três estão no top 10

As escolas que inflacionam as notas dos alunos do secundário aumentaram no ano passado para 18. No grupo figuram três colégios do ‘top 10’ geral.

Rankings 2018. Apenas duas escolas públicas no top 30. Veja aqui o ranking 2018

O ranking de 2018 das notas dos exames é dominado pelas escolas privadas e liderado pelo Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto. As duas escolas públicas melhor classificadas são a Clara de Resende no Porto e a Infanta D. Maria de Coimbra.

Rankings 2018. Piores notas: História bate Matemática e Português

A História é o novo ‘papão’ do ensino secundário português. Segundo dados da Direção-Geral de Estatísticas de Educação e Ciência, nos últimos cinco anos, a nota dos exames nacionais foi três vezes negativa. No ano passado, 51% dos alunos tiveram menos de 9,5 valores.
Comentários