Protocolo do projeto “Radar” da Misericórdia em colaboração com mais cinco entidades nasce amanhã

As cinco entidades são a Câmara Municipal de Lisboa (CML), Instituto da Segurança Social (ISS), Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS – LVT), Polícia de Segurança Pública (PSP), Comissões Sociais de Freguesia (CSF) e Juntas de Freguesia. O Projeto Radar consiste em identificar as necessidades de pessoas com mais de 65 anos em Lisboa.

Cristina Bernardo

A Santa Casa da Misercórdia de Lisboa vai assinar e apresentar amanhã, segunda-feira, dia 17 de setembro, o protocolo de colaboração do “Radar”, um projeto da economia social que consiste em sinalizar a população da cidade com mais de 65 anos e identificar as suas necessidades, “de modo a serem detetadas, precocemente, situações de risco, agilizando uma intervenção ajustada a cada situação”, diz a SCML em comunicado.

A instituição liderada por Edmundo Martinho classifica este como “um projeto comunitário pioneiro em Portugal e está integrado no Programa Lisboa, Cidade de Todas as Idades”.

“Este projeto é pioneiro em Portugal, uma vez que funciona em rede com várias entidades: SCML, Câmara Municipal de Lisboa (CML), Instituto da Segurança Social (ISS), Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS – LVT), Polícia de Segurança Pública (PSP), Comissões Sociais de Freguesia (CSF) e Juntas de Freguesia”, explica a instituição.

Na apresentação amanhã irão estar presentes o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, e o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Edmundo Martinho.

Recomendadas

Sindicato dos Enfermeiros Portugueses acusa ministra da Saúde de dizer “inverdades”

Em causa estão as declarações da ministra da Saúde, Marta Temido, proferidas na quinta-feira no final de reuniões com os sindicatos dos enfermeiros, em que afirmou não ser possível “corrigir hoje, por uma revisão da carreira, tudo o que é um histórico de congelamentos” na profissão de enfermagem.

Castelos, mosteiros e fortes na órbita de centenas de investidores nacionais e estrangeiros

Espaços de património português encontram-se devolutos. Governo já recebeu contactos de de “cerca de 440 interessados nos vários imóveis, dos quais cem são estrangeiros”.

Diplomas para a legalização da canábis chumbados no Parlamento

Os diplomas de Bloco de Esquerda e PAN para a legalização da canábis para uso recreativo, foram ontem debatidos em Parlamento mas foram chumbados. PSD, PCP e CDS-PP votaram contra, enquanto que o PS defendeu votos mistos.
Comentários